A ministra da Educação, Isabel Alçada, presidiu, na passada sexta-feira, dia 3 de Dezembro, em Oliveira do Bairro, à sessão de entrega de Prémios Escolares do Jornal da Bairrada, que totalizaram este ano aproximadamente cinco mil euros.
De resto, o salão nobre dos Paços do Concelho foi pequeno para acolher tão elevado número de alunos, familiares, amigos e professores que não quiseram faltar à 7.ª edição da entrega de prémios do Jornal da Bairrada, mas a primeira a contar com a presença da titular da pasta da Educação.
Na ocasião, Isabel Alçada destacou a importância em distinguir duas disciplinas (Matemática e Português) “de competências chave dos cidadãos” e “essenciais no desenvolvimento intelectual dos seres humanos”. Por isso, os alunos devem esforçar-se por obter qualidade na escrita que os ajude a pensar e a melhorar a forma como comunicam. Dirigindo-se sobretudo à vasta plateia de alunos, a ministra recordaria que, “quando se lê, atinge-se um nível mais aprofundado de reflexão e pensamento, assim como quando escrevemos aprofundamos ainda mais a nossa capacidade de pensar”. Relativamente à matemática, diria tratar-se de uma disciplina de “uma beleza extraordinária”.
Aos 13 alunos premiados falou ainda dos momentos de esforço e sacrifício, mas também do êxito que depende do apoio dos professores, mas em grande parte do auto-domínio dos alunos e do vital acompanhamento das famílias.
Aos premiados diria também que terão agora uma grande responsabilidade: “honrar o prémio, ir sempre mais longe mas também colocar o conhecimento ao serviço dos outros”.
Na sessão solene de entrega de diplomas aos melhores alunos de todas as escolas EB2/3 e secundárias do concelho de Oliveira do Bairro, que frequentam os 9.º e 12.º anos, com bom desempenho nas disciplinas de Português e Matemática, mas que também se destacaram pelo bom comportamento cívico, Isabel Alçada sublinharia que o parque escolar está a sofrer grandes melhoramentos, destacando o trabalho conjunto do Ministério da Educação e das autarquias “para fazer um serviço público de qualidade”.
Quanto ao Jornal da Bairrada, disse ser um órgão de comunicação importante e empenhado em contribuir para criar mais interesse no acesso à informação.

Disciplinas nucleares. Manuel Fernandes Thomaz, professor de Física aposentado, da Universidade de Aveiro, felicitou o Jornal da Bairrada pelo cumprimento da responsabilidade social, ao atribuir prémios aos melhores alunos, destacando que o “país, se tiver jovens com uma formação séria a Português e Matemática, será completamente diferente”, uma vez que se trata de duas disciplinas nucleares.
Aos premiados, falou da importância da Matemática pura”, base de toda a matemática”, deixando bem claro que “não se faz boa ciência sem uma boa base em matemática pura”.
Todavia, deixaria também uma palavra de incentivo aos alunos que não foram premiados, mas que podem ter muito sucesso na vida e contribuir para o progresso social.
Em ambos os casos, diria, contribuem os professores, que têm papel decisivo na compreensão destes conhecimentos mas também no gosto pelas matérias.

Câmara investe na Educação. O autarca Mário João Oliveira aproveitaria a presença de Isabel Alçada para sublinhar que o concelho aposta na sustentabilidade económica e na valorização do potencial humano, continuando a ter na Educação “uma das prioridades estratégicas” do seu executivo. Daí, o empenho da Câmara na requalificação e modernização de todo o parque escolar; no seu reordenamento, designadamente através da construção de oito novos Centros Escolares, no aumento da rede pública do Ensino Pré-escolar e na dinamização do Ensino Técnico-profissional.
O edil daria a conhecer que, dos referidos centros escolares, dois estão já em pleno funcionamento. Seguir-se-ão mais seis: Troviscal e Bustos (onde os trabalhos estão em curso); Oiã-Poente (já adjudicado), Vila Verde, Oiã-Nascente e Mamarrosa (em fase de adjudicação), que, na sua totalidade, representam um investimento de cerca de 20 milhões de euros. “É uma aplicação consciente de recursos públicos em obras que revertem inteiramente em favor da comunidade, inscrevendo-se de entre os investimentos considerados prioritários pelo município”, diria Mário João Oliveira, destacando também que os prémios distinguem os melhores em disciplinas “essenciais no processo educativo” e que os prémios, para além do mérito, premeiam o esforço, a sã competitividade, elevando a auto-estima dos alunos.
Na oportunidade, o edil oliveirense relembraria à Ministra não ter sido, até à data, “concretizada por parte da DREC, qualquer transferência de meios financeiros para a realização das obras de requalificação da E.B Acácio Azevedo e da E.B Dr. Fernando Peixinho”, cujas obras são urgentes.

A importância e as dificuldades da imprensa. Por seu turno, António Granjeia, director do Jornal da Bairrada, destacou a importância da presença da Ministra da Educação, Isabel Alçada, na entrega dos prémios escolares Jornal da Bairrada, uma vez que a sua vinda a Oliveira do Bairro “confere à iniciativa uma solenidade e importância extraordinárias”.
Aproveitando a sua presença, o director do Jornal da Bairrada destacou ainda a importância deste no panorama da imprensa regional nacional, sendo o maior semanário do distrito, com maior tiragem, mais assinantes e mais leitores. Granjeia aproveitaria a presença da titular da pasta da Educação para lamentar alguns dos problemas que atingem os jornais regionais: “a distribuição no estrangeiro e o porte pago, cujas diminuições levam à perda de assinantes todos os anos no estrangeiro, porque as economicistas medidas míopes cortam em quem não pode resmungar ou fazer manifestações”.
Por isso, disse que Isabel Alçada poderá “sensibilizar os colegas governantes, para que os jornais possam fazer parte dum plano nacional de leitura à sua medida”.
Elogiando a responsável pela pasta da Educação enquanto “escritora”, cujos livros “marcaram uma viragem na história da literatura infanto juvenil portuguesa”, salientou também a sua participação no Plano Nacional de Leitura cujo objectivo é amplamente conhecido e louvável: “elevar os níveis de literacia dos portugueses”.
Quanto aos Prémios Escolares, promovidos há já sete anos por este semanário regional, salientou que “distinguem e valorizam o mérito dos jovens, premiando o seu sucesso escolar conjuntamente com o bom comportamento cívico”, ao mesmo tempo que reforçam e são um “estímulo para o estudo”.
Com um valor total anual superior a cinco mil euros, os prémios são um grande esforço do jornal, “só possível graças ao apoio de alguns bairradinos amigos da sua terra natal e do nosso jornal, como o comendador Almeida Roque, que escolheu justamente uma cerimónia dos prémios escolares, há três anos, para anunciar uma generosa doação de mais de dois milhões de euros, com que criou uma Fundação que tem como objectivo a edificação e gestão do futuro Instituto Industrial da Bairrada”.
Uma obra, disse António Granjeia “fruto da imaginação e da força criadora do comendador” mas que será uma realidade “com o imprescindível apoio da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro e do Governo de Portugal”.
Aos premiados deixou algumas palavras de incentivo e reconhecimento, “pela dedicação à aprendizagem conjugada com estudo metódico, o interesse e a vontade em descobrir”, já que são também “uma referência para a comunidade e para os colegas”.

Catarina Cerca