É ainda um sonho para os seus moradores (mãe e filho), mas poderá tornar-se realidade, caso a Comissão Fabriqueira da Paróquia Moita (proprietária do imóvel) faça um pedido de ajuda da recuperação da habitação à Câmara Municipal de Anadia.
Na última reunião de Câmara, chegou um pedido de ajuda (da Junta de Freguesia da Moita) para que a Câmara apoie na recuperação de uma habitação onde reside mãe e filho em condições muito humildes.
“A pessoa em causa vive com grandes dificuldades económicas, e a habitação encontra-se em muito mau estado de conservação. Em dias de chuva torna-se impossível estar lá dentro”, refere a informação feita pela JF, concluindo a mesma que “a habitação necessita com urgência de reparações várias”.
De igual forma, também Dora Gomes, técnica superior responsável pela Rede Social de Anadia, informou o executivo da veracidade da situação. Na informação enviada ao executivo, refere que o agregado familiar (homem de 55 anos e mãe de 83) vivem com parcos recursos. A casa, constituída por dois quartos, sala, cozinha e dispensa, não tem casa de banho, assim como as pensões que auferem mal chegam para as despesas fixas (luz, telefone, gás, medicamentos e alimentação). A água vem da casa de um familiar.
Dora Gomes conclui que o caso se enquadra no âmbito do Regulamento de Apoio a Estratos Sociais Desfavorecidos na construção, recuperação e ampliação das suas habitações, da Câmara Municipal de Anadia.
Localizada no designado Bairro dos Pobres, em Carvalhais, a habitação é propriedade da Comissão Fabriqueira da Paróquia Moita. A ajuda (por exemplo, cedência gratuita de materiais), caso venha a acontecer, está dependente de um pedido feito à Câmara pela Comissão Fabriqueira da Paróquia Moita.

Catarina Cerca