A Universidade de Aveiro (UA) recebeu 1.636 candidaturas para preencher as 40 vagas do novo curso em medicina que vai arrancar em Setembro, informou aquele estabelecimento de ensino.

O prazo para a inscrição terminou no dia 01 de Abril, mas os candidatos dispunham de mais um dia para fazer o pagamento da taxa de 150 euros para validar a candidatura.

Em declarações à Lusa, o reitor da UA, Manuel Assunção, disse que o resultado “superou um pouco as expetativas” e sublinhou que “esta apetência demonstra a grande confiança que as pessoas têm” neste estabelecimento de ensino superior.

“Temos a certeza que vamos ter 40 estudantes de medicina muito bons com o rigor do processo de selecção que vamos ter”, adiantou o reitor.

Apesar da elevada procura registada, Manuel Assunção considerou ser “absolutamente prematuro” pensar num aumento do número de vagas para o próximo ano, afirmando que, nesta fase, a UA está concentrada em “dar a melhor formação possível a estas pessoas”.

Dos 1.636 candidatos iniciais, serão seleccionados 200 através de um conjunto de provas de aptidões cognitivas, a realizar entre 16 e 18 de Abril.

A segunda fase do processo de selecção consiste numa prova de aptidões científicas, que terá lugar em Junho, e na ponderação da titularidade de outros graus académicos.

Desta fase sairão os 80 melhores candidatos. Deste conjunto, os 40 futuros alunos serão escolhidos após a realização de um conjunto de entrevistas e na ponderação da participação em atividades de voluntariado e da experiência profissional.

A Universidade de Aveiro (UA) recebeu 1.636 candidaturas para preencher as 40 vagas do novo mestrado em medicina que vai arrancar em Setembro, informou hoje aquele estabelecimento de ensino.

O prazo para a inscrição terminou no dia 01 de Abril, mas os candidatos dispunham de mais um dia para fazer o pagamento da taxa de 150 euros para validar a candidatura.

Em declarações à Lusa, o reitor da UA, Manuel Assunção, disse que o resultado “superou um pouco as expectativas” e sublinhou que “esta apetência demonstra a grande confiança que as pessoas têm” neste estabelecimento de ensino superior.

“Temos a certeza que vamos ter 40 estudantes de medicina muito bons com o rigor do processo de selecção que vamos ter”, adiantou o reitor.

Apesar da elevada procura registada, Manuel Assunção considerou ser “absolutamente prematuro” pensar num aumento do número de vagas para o próximo ano, afirmando que, nesta fase, a UA está concentrada em “dar a melhor formação possível a estas pessoas”.

Dos 1.636 candidatos iniciais, serão selecionados 200 através de um conjunto de provas de aptidões cognitivas, a realizar entre 16 e 18 de abril.

A segunda fase do processo de selecção consiste numa prova de aptidões científicas, que terá lugar em junho, e na ponderação da titularidade de outros graus académicos.

Desta fase sairão os 80 melhores candidatos. Deste conjunto, os 40 futuros alunos serão escolhidos após a realização de um conjunto de entrevistas e na ponderação da participação em actividades de voluntariado e da experiência profissional.

Esta formação de quatro anos, realizada em articulação com o Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS) da Universidade de Porto, tem como objectivo “formar clínicos que estejam à altura dos novos desafios colocados aos sistemas de saúde, nomeadamente o envelhecimento acentuado da população, a pluripatologia e a incapacidade”.

Dirigido a licenciados de qualquer área científica que demonstrem um elevado nível de aptidões científicas, este novo programa de formação contemplará a formação clínica em hospitais e centros de saúde da região.

O curso de Medicina da Universidade de Aveiro foi aprovado em Dezembro de 2009 pelo ministro do Ensino Superior, Mariano Gago, que o considerou “inovador” por resultar de um consórcio entre a UA e a Universidade do Porto.