O futuro Instituto Industrial da Bairrada dominou, por inteiro, a 8.ª edição da entrega dos Prémios Escolares do Jornal da Bairrada. Na ocasião, tanto o autarca Mário João Oliveira, como o orador convidado Fernando Silva, apelaram à representante da DREC para que interceda por forma a que o processo seja agilizado e os aspectos meramente burocráticos sejam ultrapassados, possibilitando a construção deste equipamento escolar (no concelho de Oliveira do Bairro) no mais curto espaço de tempo.

Instituto Industrial faz falta ao tecido empresarial da região.Foi o orador convidado e engenheiro nuclear, Fernando Silva, o primeiro a falar no Instituto Industrial da Bairrada, dizendo que foi graças ao Comendador Almeida Roque, ali presente, que o sonho da construção de um instituto profissional, em Oliveira do Bairro, começou a tomar forma. “Foi o senhor Comendador que, em 2007, numa cerimónia destas, anunciou, publicamente, o seu desejo de construir uma escola profissional na cidade de Oliveira do Bairro”, lembrou Fernando Silva, um dos membros do Conselho Geral da Fundação Comendador Almeida Roque, que gere o futuro Instituto.
Assim, aproveitando a presença do autarca oliveirense, Mário João Oliveira e da representante da DREC, Maria do Céu Castelo-Branco, Fernando Silva considerou ter chegado a hora de “mobilizar toda a gente para um objectivo que todos desejamos, ver realizada – durante a vida do comendador, que conta já com 92 anos – a Escola Profissional”. Considerando Almeida Roque um “visionário” por “acreditar” na mais-valia de uma escola desta natureza para o tecido empresarial da região, Fernando Silva destacou que a escola se pautará por um ensino técnico verdadeiro, capaz de responder às reais necessidades da região.

Burocracia está a atrasar processo. Já o autarca Mário João Oliveira apelou a Maria do Céu-Castelo Branco para que, “naquilo que estiver ao seu alcance e da instituição que representa, permita o rápido e célere andamento do processo” com vista à criação de mais “um pólo de dinamização tão necessário a este país e à zona da Bairrada”.
Atento também às palavras proferidas pelo orador convidado, Fernando Silva, sobre esta matéria, desafiou a representante da DREC “a lutar, como nós, para que este Instituto venha a ser uma realidade e seja encarado como um verdadeiro projecto-piloto, para que eventualmente e à posteriori possa, com provas dadas, ser replicado pelo país”. E dirigindo-se em especial ao mentor da obra, Almeida Roque, disse: “o entusiasmo do Comendador, instituidor e mentor desta iniciativa, a par com o querer da Câmara Municipal, culminará numa obra a ser realizada num menor prazo possível”.

Galardoar o mérito e a excelência. O prémio escolar, criado por Jornal da Bairrada, visa distinguir os melhores alunos de Português e Matemática das escolas de Oliveira do Bairro. Um prémio que galardoa anualmente o mérito dos alunos, não apenas a nível da aplicação escolar e de notas, mas tendo sempre como pano de fundo o seu comportamento moral e cívico. Perante uma atenta plateia composta por alunos premiados, colegas, pais e encarregados de educação, professores e autarcas e sob o olhar atento do Comendador Almeida Roque, benemérito do concelho e impulsionador do Instituto Industrial da Bairrada, António Grangeia, director do Jornal da Bairrada, considerou o prémio, que vai já na oitava edição, “uma aposta segura no incentivo do talento dos nossos mais jovens cidadãos”.
O valor total dos prémios ronda anualmente os 5 mil euros e só tem sido possível devido “ao apoio filantrópico dum cidadão bairradino, que insiste no anonimato, mas que desde o início nos ajuda a manter este projecto de incentivar os nossos melhores jovens”.
O director do Jornal da Bairrada também não foi alheio ao facto do projecto do Instituto Industrial da Bairrada se dever ao Comendador Almeida Roque, que escolhera uma cerimónia destes prémios escolares para, com uma generosa doação, projectar uma obra importante para a sociedade. “ Fruto da imaginação e da força criadora do Comendador, ele será, no futuro, uma referência na formação tecnológica na nossa região”, disse.
Aos presentes anunciou também a disponibilização do Jornal da Bairrada numa nova forma de distribuição, a electrónica. “Destinado aos mais jovens, aos mais disponíveis para as novas tecnologias, aos que estão cada vez menos servidos pelos correios, lançamos o Jornal da Bairrada na versão e-paper. Permitirá baixar os custos de aquisição aos assinantes, (no estrangeiro significará menos 200%), proporcionará alternativas à distribuição. É mais uma aposta deste jornal sempre no caminho da diferença”, destacou António Grangeia.

A lição dos oradores. A entrega dos prémios escolares, que contempla alunos do 9.º ano das EB 2/3 de Oliveira do Bairro e Oiã e ainda o Instituto de Promoção Social de Bustos (IPSB) nas disciplinas de Português e Matemática, mas que distingue também os melhores alunos do 12.º ano das disciplinas de Português e de Matemática, separadamente, da Escola Secundária de Oliveira do Bairro e do IPSB, teve, este ano, como oradora convidada, na área do Português, a professora Idália Sá Chaves, natural do Troviscal.
A docente considerou o prémio “uma iniciativa que vai, em termos do exercício da cidadania, muito para além das funções mais imediatas e óbvias de um órgão de comunicação social”.
A oradora destacou ainda o facto dos prémios estarem associados ao comportamento cívico dos estudantes: “o que o Jornal da Bairrada valoriza e premeia é a formação de cidadãos que, pela sua qualidade humana e competência, possam dignificar e engrandecer a sua região ou país de pertença inscritos, naturalmente, numa perspectiva de cidadania universal”.
À vasta plateia de convidados, referiu que “a homenagem e o tributo a estes jovens é, por isso, também o tributo aos que, na sombra e no silêncio de agora, foram no tempo próprio a palavra e o gesto decisivos nos processos que marcam de êxito as suas conquistas”, respectivamente a escola e a família.
Por seu turno, o engenheiro nuclear, Fernando Silva, natural da Palhaça, que fez a sua carreira universitária nos EUA, referiu que “a matemática e o português são muito importantes, mas, por si só, não são garantia de sucesso”. Por isso, entende que, “na vossa carreira, será fundamental a paixão pelo que fazem. A paixão é, de facto, o que vai ser determinante para atingirem o sucesso.”
Falando da sua vasta experiência profissional, o orador, ligado a vários projectos industriais na Bairrada, destacou que os alunos devem tomar consciência de que “todas profissões têm grande valor para a sociedade”. “Temos é de ser bom naquilo que queremos fazer”, destacou.
A terminar, disse ainda aos alunos que “aqueles que têm sucesso não são necessariamente aqueles que estão mais bem preparados, mas aqueles que mais se esforçam para atingir as metas que estabeleceram para si próprios; aqueles que, com paixão, fazem aquilo que gostam e nunca desistem; aqueles que, com o rigor, não abdicam dos princípios e dos valores, independentemente das dificuldades e aqueles que, com ética de trabalho e rigor, mantêm o seu percurso”.

Premiado esforço e dedicação. Maria do Céu Castelo-Branco, da DREC, enalteceu a realização da 8.ª edição dos Prémios Escolares. Aos premiados deixou uma palavra de apreço, realçando que “o grande mérito advém, fundamentalmente, do esforço, da dedicação ao estudo, da persistência e da responsabilidade, mas também do empenhamento das famílias, da competência e da dedicação dos professores e de toda a comunidade educativa que contribuíram para a excelência dos alunos premiados”.
Na oportunidade, Mário João Oliveira também felicitou os alunos que receberam o prémio, que distingue o mérito, o trabalho, mas também da atitude e o comportamento. “Uma grande diferença é a atitude. Quando se trabalha, mais tarde, mais à frente, recebemos os frutos desse trabalho”, disse, dando como exemplo a sua experiência de vida.
Também o presidente da Assembleia Municipal de Oliveira do Bairro, Manuel Nunes, congratulou os alunos “pelo rigor, exigência, empenho, espírito de sacrifício”. Dirigindo-se aos pais e professores, frisou que estes são “pilares fundamentais para o sucesso na educação e na vida”.
E coube ao comendador Almeida Roque encerrar, com chave de ouro, a entrega de Prémios Escolares Jornal da Bairrada. Aos alunos falou da sua vida “feita a pulso”, sempre pautada pela “seriedade, honestidade e vontade de trabalhar”. Este é, no seu entender, “o segredo do êxito, sem esquecer que “não devemos gastar mais do que aquilo que temos”.
E às entidades presentes deixou também um recado: “Há cursos universitários a mais. E os cursos técnicos? Esses fazem falta”. Em jeito de desabafo, acrescentou que “o problema é que neste país parece que ninguém quer sujar as mãos”. O mentor do Instituto Industrial da Bairrada concluiria falando da necessidade de “proteger o ensino técnico”.

Alunos premiados
9.º ano
Português
e Matemática
Instituto de Promoção Social de Bustos (IPSB)
1.º prémio, Marta Miguel Costa Abrantes;
2.º prémio, Carolina Pelicano Martins;
3.º prémio, Roberto Silva Carvalho.

EB 2/3 Oiã
1.º prémio, Hortênsia Sofia Martinez Oliveira;
2.º prémio, Bruna Filipa Marques Rodrigues;
3.º prémio, Andreia de Oliveira Simões.

EB2/3 Oliveira do Bairro
1.º prémio, Elodie Morais Oliveira;
2.º prémio, Gonçalo Gonçalves Duarte Pires;
3.º prémio, Dina José Guerra Gamelas.

12.º ano
Prémio
de Português
Escola Secundária de Oliveira do Bairro
Ana Raquel Almeida Grifo

IPSB
Maria Eduarda Pereira de Azevedo Mota

Prémio
de Matemática
Escola Secundária de Oliveira do Bairro
Daniela Pato Pais

IPSB
Fábio Daniel Moreira Barbosa

 

Catarina Cerca

catarina@jb.pt