A Assembleia Municipal de Anadia aprovou, por unanimidade, um empréstimo de 2.243,282 euros destinado a financiar a parte correspondente à Câmara Municipal de Anadia nas obras do QREN, nomeadamente as do saneamento básico.
“Interessa conseguir este empréstimo, que não esgota a capacidade de endividamento da Câmara”, disse o autarca Litério Marques, dando conta de que a Câmara “não pode ficar pendurada, e como tem capacidade de endividamento, por rateio, vai utilizá-lo neste empréstimo a contrair com o Banco Europeu de Investimento (BEI)”, acrescentando ainda que o empréstimo, por um prazo de 14 anos, tem condições muito vantajosas: “três anos de carência de amortização de capital e uma taxa de juro de 3,901%, pouco superior àquela que tínhamos anteriormente”.
“É uma oportunidade para ir buscar este dinheiro”, disse o edil anadiense, referindo ainda que “este é um empréstimo no BEI que muitas Câmaras gostariam de conseguir”, sendo, por isso, “fundamental para a Câmara levar a acabo as obras do QREN”.
Cardoso Leal, líder da bancada socialista, explicou o voto favorável da sua bancada na contratação do empréstimo: “porque se destina ao saneamento, que foi sempre uma das nossas bandeiras, até porque o atraso na resolução deste grave problema sempre foi alvo das nossas críticas; porque também, finalmente, está no bom caminho a resolução deste problema. Fazemos votos que este empréstimo seja bem utilizado e que em breve esteja solucionada esta carência no concelho”, referiu.
Também o deputado da CDU, João Morais, justificou o seu voto favorável ao empréstimo por este trazer uma melhoria às condições de vida das populações do concelho e por criar emprego, muito embora tenha criticado o facto de já este ano ter sido aprovado um empréstimo de 4 milhões – que ainda não foi utilizado – e agora mais este de 2 milhões.
Na Assembleia foi ainda aprovada a 3.ª revisão dos Documentos Previsionais do Município de Anadia referentes ao exercício de 2011.
Na oportunidade, Litério Marques explicou que esta situação se prende com a necessidade de reajustar os financiamentos do QREN com as obras indicadas nas empreitadas. “Regista-se uma redução do valor global do orçamento em 5,4 milhões de euros porque as candidaturas resultaram em empreitadas mais baratas, conseguidas por menos dinheiro, o que levou a uma diminuição no orçamento e que, por força da Lei, teve de ser revisto, levando a uma contabilidade completamente diferente”, destacou.
Este ponto foi aprovado por maioria, com 26 votos a favor, seis abstenções (PS/CDU e CDS/PP) e um voto contra, do deputado João Tiago Castelo Branco, do CDS/PP.
Também a 2.ª revisão dos Documentos Previsionais dos SMAS referente ao exercício de 2011 foi aprovado sem grande discussão. Sobre este ponto, Litério Marques adiantou que também esta revisão está relacionada com reajustes orçamentais. O ponto foi aprovado, por maioria, com 27 votos a favor, quatro abstenções do PS e três votos contra do CDS/PP e da CDU.

Catarina Cerca