Estão concluídas as obras de restauro do altar da Capela de Nossa Senhora das Neves, nas Neves do Pinheiro, freguesia de Avelãs de Cima.
A intervenção começou em 2011, graças à determinação da Comissão Zeladora da Capela e ao empenho e dedicação da mordomia daquele ano. A beneficiação contemplou, para além do restauro do altar, a substituição do telhado do templo que se encontra classificado pela Direção-Geral do Património Cultural (IGESPAR).
A inauguração desta beneficiação teve lugar no passado dia 5 (domingo), por altura da festa da padroeira.
A JB Rosa Maria Tomás, responsável da Comissão Zeladora da Capela, avançou que “a intervenção profunda realizada no altar só foi possível graças à benemérita Maria Inês de Portugal, devota e afilhada de Nossa Senhora das Neves, que suportou os encargos (25 mil euros), relacionados com o restauro do altar”, tendo oferecido ainda ao templo uma Via Sacra e duas mísulas para colocar os santos. No entanto, destaca também os donativos vários entre os quais do comendador Augusto Gonçalves, da Mata de Cima.
O trabalho meticuloso realizado exigiu a consolidação do retábulo. Daí que a obra tenha demorado mais de cinco meses a ficar concluída, tendo sido realizada por duas jovens licenciadas em Conservação e Restauro de Aveiro: Luísa Veiga e Raquel Tavares, que devolveram ao altar e ao retábulo toda a beleza original.
A beneficiação ficou orçada em mais de 30 mil euros, na medida em que o templo se encontrava em avançado estado de degradação, tendo a última grande intervenção acontecido há mais de quatro décadas.
Rosa Tomás destaca ainda que também o telhado teve de ser todo substituído devido às infiltrações e humidade no interior do templo, beneficiação que contou com o importante apoio da empresa Sotelha, que ofereceu 50% da telha utilizada.
Rosa Tomás, que é vereadora da Cultura e da Educação da Câmara Municipal de Anadia, adianta que esta pode ser considerada a conclusão da primeira fase da obra, na medida em que falta agora avançar com o restauro da ermida, que apresenta várias fissuras e terá de ser intervencionada de acordo com o IGESPAR.
De referir que também a fonte (que há muito secara), localizada no espaço envolvente ao tempo, voltou a ter água depois da Câmara Municipal de Anadia ter feito a ligação à rede pública. Uma mais-valia a que se junta ainda o apoio da Junta de Freguesia de Avelãs de Cima na aquisição de três mesas e bancos que embelezam e dão outra dignidade ao parque de merendas ali existente.
A Comissão espera ainda conseguir fazer a pintura de todo o interior e exterior do templo, assim como substituir toda a instalação elétrica.
Um facto curioso, também digno de referência, prende-se com a existência, no interior da capela, de um quadro, escrito em português antigo que atesta um “milagre” (uma cura) que terá ocorrido graças à Nossa Senhora das Neves com o seguinte texto: “Milagre que fez N.ª Sr.ª das Neves do Pinheiro, a Angelica de Santiago da Maia, mulher de Gonçalo de Mariz de Canha, que tendo ela uma grande doença se apegou com a dita Senhora e logo se achou sã. Ano de 1782.”

Cinco séculos de história e culto. Segundo Rosa Tomás “não se sabe bem desde quando, mas seguramente há mais de cinco séculos que, neste local, as gentes se reúnem para fazer as suas preces e dar mostras da sua fé e gratidão a Nossa Senhora das Neves”. Há, contudo, provas de que a capela “existia em meados do século XVII, que Nossa Senhora das Neves era já a padroeira e que a fonte existente ali perto assumia um papel primordial neste espaço”.

Catarina Cerca
catarina@jb.pt