O atual autarca de Anadia, Litério Marques, vai integrar uma lista de cidadãos independentes na corrida à Câmara Municipal de Anadia.
Embora não se possa recandidatar ao cargo que vem ocupando nos últimos cinco mandatos (a Lei estabelece limites à renovação sucessiva de mandatos dos presidentes de órgãos autárquicos), a verdade é que Litério Marques vai dar corpo a uma situação inédita no concelho. Pela primeira vez, vai surgir nas eleições autárquicas de outubro, um Movimento de Cidadãos Independentes, candidatos à Câmara e Assembleia Municipais, mas também às Assembleias de Freguesias do concelho.
O edil anadiense, que fora sempre eleito pelo PSD, está disponível para concorrer como independente, (não só porque atingiu o limite de mandatos), mas porque são de todos conhecidas as divergências que o separam da Comissão Política Concelhia do PSD, liderada por José Manuel Ribeiro, candidato do PSD à Câmara Municipal de Anadia (ver notícia na pág. 11).

Razões da candidatura. Em comunicação enviada ao Jornal da Bairrada, Litério Marques avança que irá liderar um Movimento de Independentes, devendo, por isso, ser o rosto mais visível deste Movimento na corrida aos órgãos autárquicos. Litério Marques aponta como primeira razão para integrar a lista de independentes o facto de considerar o projeto do PSD Anadia “vazio.”
A segunda razão prende-se com o facto de estar preocupado que “o município se afaste do caminho traçado nos últimos anos, que levou a Câmara a ser autossuficiente financeiramente, conseguindo, assim, levar a efeito os inúmeras projetos e obras que estão à vista”.
O edil sublinha que foi graças a esta forma de gestão que “os munícipes continuam a usufruir do pagamento de taxas ou tarifas socialmente justas, num progresso contínuo e desenvolvimento sustentado do concelho.”
Litério Marques mostra-se ainda desagradado com as estruturas do PSD, dizendo que, embora tenha manifestando, em dezembro de 2012, a sua total disponibilidade para colaborar na escolha de pessoas experientes e profissionais como candidatos aos diversos órgãos autárquicos do concelho, não obteve qualquer resposta.

Autarca critica partido. “Tomo conhecimento através dos jornais que a própria Comissão Política Distrital de Aveiro do PSD homologou, em 21 do corrente mês, a candidatura dum cidadão que precisamente há quatro anos recusou. Imagine-se por unanimidade e aclamação”, diz, concluindo que o PSD “não tem em devida conta o trabalho executado, durante décadas, por tantos autarcas, nomeadamente o atual presidente da Câmara”.
Por isso, explica que não lhe resta outra alternativa senão “a criação do Movimento que irá rapidamente contactar as pessoas do município para organizar as listas das quais eu próprio também farei parte”.
O edil anadiense afirma que a sua equipa já está no terreno e em breve serão anunciadas as candidaturas aos diferentes órgãos.
“Somos conhecidos, damos a cara por tudo o que está feito mesmo em tempo de crise”, sublinha.
De referir que Litério Marques é autarca nas estruturas da Câmara Municipal há mais de duas décadas.

Reação da Distrital do PSD. Ulisses Pereira, presidente da Distrital do PSD Aveiro, relembrou que o candidato escolhido pelo Partido (José Manuel Ribeiro) foi aprovado, primeiro no plenário de militantes, depois pela Comissão Política Distrital de Aveiro do PSD “por unanimidade e aclamação” e homologado pela Comissão Política Nacional do PSD. Por outro lado, sublinhou que na altura do plenário de militantes, realizado na Curia, não apareceu qualquer voz discordante, tendo sido portanto “um processo claro e completamente transparente”, recusando-se fazer qualquer comentário sobre eventuais ações individuais. “As pessoas são livres, mas há quem se esqueça do apoio recebido do partido durante mais de duas décadas”, disse ainda, deixando bem claro que Litério Marques não se pode recandidatar a presidente da Câmara Municipal por ter atingido o limite de mandatos permitidos por lei.

Catarina Cerca