Mário João Oliveira é, oficialmente, recandidato a um terceiro mandato pelo PSD, anunciou António Mota, presidente da Concelhia do PSD de Oliveira do Bairro, sublinhando que “Manuel Nunes também se recandidata à presidência da Assembleia Municipal”.
Mário João Oliveira faz-se acompanhar por António Mota, que já foi seu vereador no primeiro mandato; Elsa Pires (de Bustos); Cristóvão Batista (Oliveira do Bairro); Álvaro Ferreira Ferreira (Bustos) e Susana Pato (Mamarrosa).
Mário João Oliveira manteve, até aos últimos momentos, em segredo, a sua recandidatura, não levando consigo nenhum dos vereadores que formam o atual executivo, nomeadamente Joaquim Santos, Laura Pires e Carlos Ferreira.
O nome de Mário João Oliveira foi aprovado, por unanimidade, na última sexta-feira, naquele que foi o plenário mais participado de sempre. Mais de 100 militantes do PSD compareceram na Palhaça.
Mário João Oliveira diz que decidiu recandidatar-se, uma vez que pretende o melhor para o concelho de Oliveira do Bairro e para os seus concidadãos.
Relativamente ao facto de se recandidatar com uma equipa de vereadores totalmente nova, Mário João Oliveira justifica que foi convidado pela Concelhia e que após analisar o convite decidiu aceitar a candidatura em prol do concelho.
Ainda a cumprir o segundo mandato, o autarca de Oliveira do Bairro afirma que “a seu tempo será divulgado o programa da candidatura”.

Democracia. António Mota, líder da concelhia, que ao longo dos últimos quatro anos, se empenhou na renovação do PSD local, sublinhou ao JB que “se tratou de um grande momento de democracia”, sublinhando que “os lugares não são cativos e os militantes é que decidem”.
Defendeu que a Concelhia decidiu apostar em Mário João Oliveira, que “merece toda a confiança, para fazer um terceiro mandato, mas não com a atual equipa”.
António Mota afirmou ainda que “o partido está unido em todo o concelho e prova disso, foi a decisão que mereceu unanimidade do plenário, que é soberano”.

Momentos. Recordou que o plenário teve um momento alto, quando “o nome de Mário João foi anunciado e este entrou pelo salão. Ouviu-se um grande aplauso dos presentes”.
António Mota, sem especificar, refere que “apenas houve uma intervenção que demonstrou falta de democracia”, sublinhando, entretanto, que até ao final do mês de abril serão divulgados os nomes dos membros da Assembleia Municipal e do candidato à União das Freguesias de Bustos, Mamarrosa e Troviscal.
Pedro Fontes da Costa
pedro@jb.pt