A Câmara da Mealhada decidiu, na reunião da passada segunda-feira, avançar com a adjudicação da obra de construção do Pavilhão Gimnodesportivo de Ventosa do Bairro, apesar de ter recebido informação, na sexta-feira, de uma empresa concorrente e preterida neste processo, anunciando que ia impugnar a decisão do júri.
O presidente da Câmara, Rui Marqueiro, levou aquele assunto ao conhecimento dos vereadores, que depois da reunião pública desta semana, reuniram extraordinariamente para analisar as razões que a empresa Marvoense apontou, discordando do facto de ter sido preterida no concurso público. O autarca, que tinha a informação sobre a adjudicação da obra num dos 7 pontos da ordem do dia para esta reunião, diz ter recebido no dia útil anterior, dia 3 de janeiro, um e-mail da empresa Marvoense a indicar que iria “proceder à impugnação por não concordar com a decisão do júri, alegando que foi injustamente excluída”.

Recorde-se que a obra em causa refere-se a intervenções, sobretudo no interior daquele espaço desportivo. Trata-se de uma empreitada no valor de mais de 470 mil euros, acrescidos de IVA, para um prazo de execução de 180 dias.

João Paulo Teles

Leia a notícia completa na edição impressa ou digital do JB.