O cartaz completo da temporada de 2014/2015 das Sextas Culturais foi apresentado no dia 10 de outubro, antes do espetáculo “Abril”, de João Paulo Santos, que abriu a programação desta oferta cultural da Câmara Municipal de Águeda.

Na apresentação, marcaram presença Elsa Corga e Edson Santos, vereadores do Município de Águeda, bem como João Aidos, o coordenador da Incubadora Cultural do concelho.

A vereadora assumiu que “nesta edição, esta oferta surge com uma imagem renovada e com um cartaz de espetáculos de elevada qualidade e diversidade, procurando abranger diferentes públicos. Este evento é uma aposta do Município na área da cultura, que constitui uma referência nacional, tendo trazido anualmente à sala do Cineteatro S. Pedro, largas centenas de pessoas, gerando externalidades positivas para o nosso concelho”.

O cartaz completo das Sextas Culturais está ordenado da seguinte forma:

– 14 de novembro (22h): ROCK SINFÓNICO ORFEÃO DE BARRÔ – O Orfeão de Barrô apresenta a sua mais recente produção musical onde serão interpretados alguns dos temas mais célebres do rock português, numa versão para Coro, Combo Jazz e Quarteto de Cordas.

– 12 de dezembro (22h): RICARDO RIBEIRO (Fado)

– 9 de janeiro (22h): MAFALDA VEIGA (“Todas as Palavras Tocam”)

– 13 de fevereiro (22h): A VIAGEM –  A Viagem aborda o modo como as manifestações populares se conjugam com a modernidade, originando novos significados e permitindo uma nova apropriação e um novo entendimento do seu papel. Será realizado por Filipa Francisco, em parceria com associações locais.

– 13 de março (22h): NAYARA & BALLET FLAMENCO DE SEVILLA

– 10 de abril (22h): D.A.M.A. – Francisco M. Pereira (Kasha), Miguel Coimbra e Miguel Cristovinho são o núcleo central dos D.A.M.A., banda oriunda de Lisboa que se destaca pelas suas canções contagiantes, empatia com o público e energia das atuações ao vivo.

– 8 de maio: TRÊS DEDOS ABAIXO DO JOELHO – Resulta de uma intensa pesquisa na Torre do Tombo, para consultar o arquivo da censura durante a ditadura salazarista. É uma peça de teatro com Isabel Abreu e Gonçalo Waddington.