A criação do programa “Aventuras de Verão 2015”, destinado à ocupação de crianças e jovens do concelho da Mealhada no próximo verão, motivou várias interrogações por parte dos vereadores da oposição, entendendo que a autarquia se prepara para fazer concorrência às associações concelhias que por norma promovem este tipo de atividade. A maioria socialista no executivo negou tais intenções e, perante o possível voto contra dos vereadores da coligação Juntos pelo Concelho da Mealhada (JPCM), decidiu adiar o assunto até à próxima reunião, aproveitando este interregno para apresentar o programa às associações, na tentativa de encontrar parcerias para o mesmo.

A proposta, da vereadora Arminda Martins, explicada na última reunião de Câmara, passa pela criação de um programa de férias de quatro quinzenas, entre junho e agosto, com atividades previstas em várias áreas (ambiente, desporto, cultura, etc.). “Um programa abrangente a toda a população, não gratuito, mas com vagas sociais para famílias com manifesta carência económica”, disse a vereadora.

Gonçalo Louzada (JPCM) questionou o programa, defendendo que “as associações locais deveriam ser estimuladas a fazer estas atividades”, entendendo que “o programa concorre com as associações locais”.

João Seabra (JPCM) não ficou satisfeito com as explicações e questionou se “houve cuidado de juntar as associações à mesa para falar do assunto”, defendendo a existência de mais diálogo.

Depois de muito tempo em torno do assunto, o presidente Rui Marqueiro disse aos vereadores que “o programa vai para a frente, mais ou menos articulado”. “Daqui a duas semanas voltará aqui depois de uma conversa com as associações”, concluiu.

João Paulo Teles

Leia a notícia completa na edição de 7 de maio de 2015 do JB