A Câmara Municipal de Oliveira do Bairro vai promover, entre 17 e 19 de setembro, a sua primeira Festa da Juventude, que vai decorrer no Parque dos Pinheiros Mansos, que integra a zona desportiva da cidade. Do programa desta primeira edição fazem parte concertos de bandas e DJ’s, teatro e várias manifestações artísticas, com a participação de artesãos tradicionais.
O vereador do pelouro da juventude, Cristóvão Batista, considera “este evento como um investimento na juventude e na fixação dos nossos jovens no concelho”.

Como é que surgiu a ideia da realização do Festival da Juventude?
Cristóvão Batista – A Festa da Juventude faz parte da aposta, que queremos intensificar, no desenvolvimento dos nossos jovens e que passa não só pela música, mas também pela cultura, em sentido mais lato, pela formação, associativismo e empreendedorismo jovem, entre outras áreas de interesse. O pelouro da Juventude da autarquia está a criar uma programação específica dirigida a este público, que pode passar por colóquios, formações, workshops, espetáculos, etc..

O mês de setembro é o mais indicado?
Sem dúvida nenhuma. A data escolhida foi pensada tendo em conta que praticamente já todos os jovens regressaram das férias de verão e que, por outro lado, ainda não começaram as suas aulas. É o último grande evento dirigido aos jovens em toda a região e acreditamos que, também por isso, será uma grande festa, com muita participação.

Quais são as expetativas em relação a esta iniciativa?
Trata-se da primeira edição e, como é óbvio, temos uma grande expetativa em relação ao que será esta Festa da Juventude. A forma como temos vindo a trabalhar e o feedback que temos recebido de muitos jovens permite-nos adivinhar, e ter essa confiança, de que estamos a ir ao encontro das expetativas do nosso público.

Quem delineou o programa de animação?
O programa foi delineado pelo pelouro da Juventude em colaboração com os seus parceiros.

Qual é o orçamento?
A autarquia considera este evento como um investimento na juventude, na fixação dos nossos jovens no concelho. Mas não é só. É também um investimento ao nível do Turismo, porque queremos atrair jovens de outros concelhos vizinhos e foi com essa intenção que definimos uma estratégia de comunicação que atinja esse público-alvo, nomeadamente através das redes sociais e de outdoors colocados em locais estratégicos da região.

Qual é a razão da escolha do Parque dos Pinheiros Mansos para a realização deste Festival?
O Parque dos Pinheiros Mansos será um dos aspetos diferenciadores do evento, pela sua beleza, pelo enquadramento que vai dar a todas as atividades e animação. É um anfiteatro natural, com muito espaço e tranquilidade, que beneficia ainda, nas proximidades, de estruturas de apoio essenciais à realização de um evento deste tipo, como balneários, espaços desportivos e lúdicos, parque de estacionamento, etc.. Para além disso, é um espaço que nos permite evoluir no conceito e fazer crescer o evento, não colocando de parte a possibilidade de, em próximas edições, termos um espaço de acampamento para os participantes.

Como é que surge a participação da associação Mentes Convergentes nesta iniciativa?
Um dos objetivos desta Festa da Juventude é também envolver na sua produção a juventude do concelho, proporcionando um espaço de experimentação e capacitação dos jovens, quer em termos individuais quer associativos. A Mentes Convergentes é uma associação do concelho que tem um projeto muito interessante, intitulado Arraial Cultural, que entendemos encaixar perfeitamente no conceito da nossa Festa. Foi por essa razão que incluímos no nosso programa o projeto da Mentes Convergentes, no dia 19, a que acrescentámos os Mellow Mood e os Putzgrilla.

É uma iniciativa que vai ser repetida nos próximos anos?
Sim, é uma aposta da Câmara Municipal a que queremos dar continuidade, melhorando a cada edição.