A União de Freguesias de Amoreira da Gândara, Paredes do Bairro e Ancas foi a mais difícil “união” de concretizar no concelho de Anadia. Só nove meses após o ato eleitoral foi possível formar executivo. Um processo desgastante, com um final feliz se atendermos à sua dupla particularidade: cada elemento que integra o executivo (presidente, tesoureiro e secretário) representa uma freguesia e um partido diferente. Particularidades que não passam disso mesmo, pois como a autarca Ema Paula Pato destaca, “estamos em união, em sintonia e o entendimento entre nós é perfeito”.
“No executivo somos um elemento de cada uma das freguesias, o que é muito bom, porque cada um de nós traz para as reuniões os problemas, as necessidades das suas freguesias”, sublinhando que as “diferenças ficaram lá fora, pertencem ao passado. Agora, trabalhamos para a União de Freguesias e para as nossas populações”.

Requalificação do Parque de Amoreira da Gândara. Para o ano em curso, o executivo de Ana Paula Pato tem um orçamento de 127 mil euros, que “não chega para tudo”. Mas a verdade é que admite que, não havendo obras de grande dimensão para fazer, com uma boa gestão, as pequenas obras vão-se fazendo na União de Freguesias, com o apoio da Câmara Municipal de Anadia.
Contudo, admite que grandes obras só em estreita colaboração com a Câmara Municipal de Anadia.
Uma dessas obras é a requalificação do parque de Amoreira da Gândara, junto ao rio Levira e à sede da AMIGA.
“É uma prioridade. Com as obras de saneamento, aquele parque de lazer ficou completamente destruído. Agora é necessário reabilitá-lo. A Câmara Municipal vai apoiar nesta requalificação e o projeto já existe. Penso que deverá começar em breve.”
No local, vai nascer uma zona de lazer muito aprazível e simpática, com mesas, bancos, parque infantil, zona de estacionamento, sanitários, circuito para manutenção (equipamentos de exercício geriátricos), assim como o leito do rio vai ser requalificado e protegido. Serão ainda plantadas árvores.
Já em Ancas, a autarca pretende requalificar o Parque de Merendas, junto à lagoa do Paúl. Um local muito procurado, onde vão ser colocadas mais mesas e bancos, plantadas mais árvores e os sanitários requalificados.
“É um local muito procurado e acredito que, depois de concluída a beneficiação, irá ficar novamente um espaço nobre da localidade”, diz.
Ema Paula Pato destaca ainda a recente aquisição de um novo trator para os serviços de limpeza e manutenção da União de Freguesias. Um equipamento que virá a ser uma mais valia para manter os lugares com mais asseio e limpeza.
“Temos uma área muito grande, muitas valetas, muitos terrenos para capinar”, explicando que este serviço vai estar a cargo de três pessoas a contrato, polivalentes, a serviço da União de Freguesias.
A autarca quer ainda proceder à colocação de um gradeamento de proteção no Parque do Cruzeiro, em Ancas, assim como a fonte do Mouchão será também requalificada nos próximos meses.

Muito trabalho em 2015. O ano de 2015 foi, pode dizer-se, o ano zero, o primeiro ano verdadeiramente de trabalho nas localidades que integram esta União de Freguesias. “Conseguimos realizar a requalificação do lavadouro do Mouchão, em Ancas, mas também avançar com a colocação de um muro, pavê e jardins na Rua da Azinhaga, também em Ancas. Depois, em Paredes do Bairro, fizemos a requalificação do jardim da Senhora do Passo, do Parque de Merendas e do Lavadouro da Póvoa da Preta e do Corgo e está em conclusão a obra de beneficiação do Largo da Póvoa da Preta, onde colocamos pedra, lancil, pavê, árvores e plantas, de forma a tornar o espaço mais agradável. Demos ainda um arranjo ao nível dos jardins e manutenção de lavadouros.”
Nesta União de Freguesias, Ema Paula Pato fala ainda da dificuldade na gestão e manutenção de quatro cemitérios. Locais que exigem uma atenção constante. “Vamos indo com calma e as coisas estão no bom caminho. Um exemplo é o facto de termos colocado água da rede no cemitério de S. Martinho”.
A JB avança que foi realizada a requalificação de vários caminhos agrícolas e alcatroamento em duas estradas que estavam em muito mau estado, em Amoreira da Gândara, assim como a limpeza de valetas tem levado boa parte do orçamento. “Por isso começámos a fazer passeios em Amoreira da Gândara. Ver se começamos a gastar menos, nesta área. Inicialmente fazemos um investimento maior, mas no futuro compensa”.
Ema Paula Pato deixa ainda a nota do seu executivo ter apoiado a Fábrica da Igreja de Amoreira da Gândara a requalificar o jardim na frente da Igreja, mas também o facto de ter já sido protocolado a cedência das Escolas Básicas desativadas com a abertura de novos Centros Escolares. São os casos da Escola de Paredes do Bairro, entregue ao Rancho Folclórico local, ao Grupo Motard Ligeirinhos do Asfalto e à Associação de Futebol de Paredes do Bairro.
“Estas escolas deixam de estar devolutas e passam a ter utilidade ao serviço das populações e são preservadas pelas associações locais”. O mesmo espera acontecer, em breve, com a EB1 de Ancas, que poderá ser protocolada com um grupo motard local e com a de Amoreira da Gândara (Relvada), embora ainda não haja interessados em ficar com esta escola.
A terminar, a autarca não deixa de destacar a importância que a Zona Industrial de Amoreira da Gândara tem na economia local. “Trata-se de uma ZI toda requalificada, que está com um aspeto fantástico e há empresários interessados em adquirir terrenos.”
A JB falou ainda das ruturas de água, sobretudo em Ancas e Paredes do Bairro: “é o nosso calcanhar de Aquiles, mas já estamos bem melhor graças ao investimento feito pela Câmara Muinicipal nesta área”, mas também de algumas deficiências ao nível da iluminação pública: “existem várias falhas. Já fizemos um levantamento que foi encaminhado. São algumas dezenas de luminárias. Espero que a situação seja rapidamente revista”.
Catarina Cerca
catarina.i.cerca@jb.pt