capela_vila_verde
O memorial de homenagem à antiga capela de S. João, em Vila Verde, tal como todo o arranjo urbanístico em volta da obra, que nasceu de um entendimento entre a população, os párocos locais e a Câmara Municipal de Oliveira do Bairro, responsável pela empreitada, estão concluídos.

Formato. O memorial é constituído por uma cruz em aço, com 4,30m de altura, e por elementos originais do antigo edifício da Capela de S. João, como as pedras da porta de entrada, parte de duas paredes em adobe, cubos de granito que delimitam o espaço e pedras originárias da demolição que agora servem de elementos decorativos dos canteiros.
O novo arranjo urbanístico concretizado junto ao memorial permitiu um novo desenho a nível rodoviário do entroncamento entre a Rua de S. João e a Rua da Alagoa, transformando visualmente o espaço e tornando-o mais atrativo e funcional. De salientar ainda que, à noite, o memorial é iluminado por três pontos de luz que lhe conferem uma dimensão estética de rara beleza.
História. Para o vice-presidente da Câmara Municipal, Cristóvão Batista, o resultado final da obra “dignifica o local, a sua história e a população de Vila Verde”. O autarca relembrou que este foi um projeto “especial”, que contou com a participação da comunidade e das autoridades eclesiásticas locais e regionais: “Quisemos envolver as pessoas, perceber os seus anseios e, acima de tudo, respeitar as suas mais profundas convicções e a história do lugar. Foi por essas razões que apresentámos e discutimos abertamente o projeto que tínhamos idealizado e que foi bem acolhido por todas as partes interessadas. Tenho a certeza que os vilaverdenses estão orgulhosos daquele espaço”.
O deputado do PSD, João Paulo Sol, destacou na última Assembleia Municipal de Oliveira do Bairro, a “dignidade da obra que respeitou a história e a memória da capela e das gentes de Vila Verde e dos lugares adjacentes”.
Relembre-se que a Capela de S. João, em nome do qual se realiza a festa principal do lugar de Vila Verde, a 24 de junho, encontrava-se num estado de alguma degradação, tendo a autarquia avançado para a sua requalificação, com o objetivo de dignificar e valorizar o conjunto que abarca o espaço da capela e das ruas de S. João e da Alagoa, de forma histórica, funcional e urbanística, como património do concelho.
Para além da demolição da capela, fizeram ainda parte do projeto obras de construção, pavimentação, drenagem de águas pluviais, arborização, pintura e eletrificação, que conferiram ao espaço uma mudança qualitativa de imagem e uma identidade própria, consonante com a história do local, para além de oferecer mais segurança aos seus utentes.