Ainda o primeiro mandato vai a meio, já o autarca António Carvalho faz um balanço bastante positivo do trabalho desenvolvido pelo seu executivo, graças também ao que diz ser a estreita colaboração e contacto com todas as associações da freguesia. Contudo, admite que fica sempre a sensação de querer fazer mais e melhor em prol das populações, na medida em que os orçamentos são sempre limitados.
O ano de 2015 ficou marcado pela substituição do telhado do edifício sede da junta de freguesia. Um edifício emblemático da freguesia, datado do início do século XX que, embora não tenha sido uma promessa eleitoral, se impunha realizar, uma vez que o telhado ameaçava ruir. Um investimento realizado em parceria com a Câmara Municipal de Anadia e que ascendeu a vários milhares de euros, assim como a realização de algumas obras na zona envolvente ao edifício. Um melhoramento integrado num projeto mais vasto designado por “Obras de Requalificação e Beneficiação do Edifício da Junta de Freguesia e arranjos exteriores” mas que vai avançar de forma faseada, mediante a disponibilidade financeira e eventuais apoios camarários.
António Carvalho reconhece que neste espaço muito ainda há para fazer: beneficiação do exterior e do interior do edifício. “Já se realizaram obras superiores a 30 mil euros, mas a estimativa aponta para 52 mil euros de quantia necessária para os restantes trabalhos necessários”. Obras que passam pela instalação de um pequeno parque infantil, um percurso de equipamentos de fitness ao ar livre, mas também de um posto de apoio e atendimento ao cidadão, a instalar em breve e que funcionará um dia por semana.
Com um orçamento de 97.500 euros, as obras vão-se fazendo, sempre tendo em conta a disponibilidade financeira. Todavia, realça as excelentes relações com a Câmara Municipal de Anadia, sobretudo com a edil Teresa Cardoso e “todas as pessoas mandatadas por ela para nos acompanharem no dia a dia da Junta”.

Obras em várias frentes. Para 2016, destaca como obra de maior significado a reabilitação dos largos centrais de Vila Nova de Monsarros, agora possível depois de dois anos de muita burocracia. O projeto elaborado pela Câmara Municipal de Anadia visa dotar este espaço de uma maior dignidade e que deverá começar em breve.
No entanto, reconhece que grande parte do orçamento é absorvido pelos trabalhos do dia-a-dia, nas limpezas e manutenções dos seis lugares da freguesia, até porque esta tem dois cemitérios e um terceiro, já desativado mas que exige ainda alguma manutenção porque ali permanecem várias sepulturas, assim como realça a colaboração e acordos que vai mantendo com o Centro de Apoio Social (CAS) local, com as Escolas, sendo a Junta de Freguesia responsável pelo transporte das crianças de zonas mais serranas para a escola e Jardim de Infância local, não deixando de sublinhar que, desde o anterior mandato, a Junta apoia com 25 euros mensais, cada criança inscrita na Creche local.
Por isso, reclama também uma reabilitação urgente da Escola Básica, frequentada por 28 crianças e por outras tantas em Jardim de Infância, como uma forma de evitar o encerramento deste equipamento.
Uma outra questão preocupante é as linhas de água e os entupimentos constantes de aquedutos e sarjetas, que obriga a autarquia a uma atenção redobrada, sobretudo no inverno.
O trabalho para 2016 será então um trabalho de continuidade a pensar sobretudo no bem estar das pessoas, sobretudo das mais carenciadas, numa estreita colaboração com as associações locais, algumas com as quais a Junta já protocolou a cedência de equipamentos escolares. São os casos das Escolas de Grada (duas), Algeriz (uma) e de Monsarros (uma). Daí, destacar também as atividades desenvolvidas com as igrejas locais (Católica e Adventista), parceiros fulcrais no apoio aos mais necessitados e carenciados mas também com a Fraternidade de Nuno Álvares (FNA), sediada na EB 1 de Algeriz.
António Carvalho avança ainda que vai avançar o saneamento em Algeriz, onde será construída uma pequena ETAR. Um melhoramento importante para a freguesia, como foi a ligação de água da rede no lugar de Parada, mas até hoje sem que qualquer ligação tenha sido feita pelos moradores.
Sobre a rede viária diz estar a precisar de beneficiação porque se vai deteriorando. Fala sobretudo do lugar de Monsarros, Rua Vale do Mogo, pequenos troços que necessitam de repavimentação. “Nas povoações, sobretudo nas que já têm saneamento, como é o caso do lugar do Poço, é preciso recuperar toda a rede viária que está degradada”.
O autarca destaca ainda a necessidade de avançar com as obras no Parque de Grada, há muitos anos a crescer de uma forma lenta, num trabalho de parceria com a associação local. “O projeto está a ser elaborado e visa ter ali um circuito para a prática de BTT, porque a freguesia tem excelentes condições para a prática da modalidade”, realçando ainda um outro parque, o de Parada: “temos um terreno que foi cedido à Junta, perto de um açude, onde já foram colocadas várias árvores. Existe a possibilidade de envolver a FNA, já que esta associação apresentou uma proposta para fazer a manutenção do espaço.”

Catarina Cerca