antonio_mota_psd
O presidente da Concelhia do PSD, António Mota, garantiu, na penúltima sexta-feira, durante a tomada de posse para mais um mandato da concelhia do PSD, que o grupo que lidera “está empenhado e impaciente para construir o mais consistente e mais consolidado projeto político para «Vencer 2017»”, afirmando não ter um compromisso com a quantidade de ideias, mas, sim, “com a qualidade delas que serão apresentadas no momento certo e oportuno”.
António Mota pretende que o projeto a apresentar às próximas eleições autárquicas 2017 “seja a base de um ciclo de desenvolvimento. Um desenvolvimento social, económico e cultural, correspondendo às expectativas dos oliveirenses e à força, à energia e ao espírito solidário e empreendedor deste grande concelho”.
O líder da concelhia tomou posse perante mais de 400 pessoas e na presença do secretário Geral do PSD, Matos Rosa; presidente da Distrital do PSD, Salvador Malheiro; presidente da JSD Distrital, André Neves; presidente da Assembleia Municipal, Manuel Nunes; presidentes das Juntas de Freguesias de Oliveira do Bairro e da Palhaça, respetivamente Márcio Oliveira e Manuel Augusto Martins; diversos presidentes das concelhias da distrital do PSD e muitos outros autarcas.

Ouvir a sociedade. António Mota diz que a Comissão Política que lidera “está preparada para ouvir toda a sociedade civil. Queremos que o projeto autárquico seja um projeto dos oliveirenses para os oliveirenses”, prometendo ser inclusivos e “não excluiremos ninguém”.
António Mota está empenhado “em ouvir primeiro, o maior número possível de oliveirenses. Queremos escutar o concelho”. “A nossa eleição não é redutora de nenhum militante, pois estamos todos empenhados nas nossas convicções em defesa da nossa terra e das nossas gentes e a nossa pluralidade é o que nos torna mais fortes”, afirmou António Mota.

Ciclo.  O atual vereador do PSD defendeu que “não podemos esquecer as nossas IPSS’s e todas as outras associações do concelho, pois sabemos da importância delas na promoção de igualdades sociais, na promoção da Cultura, na promoção da Educação e do Desporto”. “Sabemos que neste ciclo de verbas europeias, no quadro comunitário de apoio que vigorará até 2021, a prioridade está na competitividade da economia”, sublinhou António Mota, reconhecendo “a oportunidade de este ser um verdadeiro fator de equilíbrio, de crescimento e de progresso”, pelo que “não deixaremos de planear um projeto autêntico e capaz de absorver as oportunidades que se avizinham”. “Não iremos só estar atentos, pois queremos criar oportunidades de investimento e de trabalho. Vamos planear e projetar para concretizar. Só assim obteremos progresso que todos desejamos.”

Prioridades. “Sabemos que neste ciclo de verbas europeias, no quadro comunitário de apoio que vigorará até 2021, a prioridade está na competitividade da economia”, sublinhou António Mota, reconhecendo “a oportunidade de este ser um verdadeiro fator de equilíbrio, de crescimento e de progresso e não deixaremos de planear um projeto autêntico e capaz de absorver as oportunidades que se avizinham”. “Não iremos só estar atentos, pois queremos criar oportunidades de investimento e de trabalho. Vamos planear e projetar para concretizar. Só assim obteremos progresso que todos desejamos.”
O líder da concelhia, que vai ter a responsabilidade de preparar a lista candidata às eleições autárquicas de 2017, pretende ainda “construir desenvolvimento e progresso. Também sabemos que a nossa sociedade tem hoje dinâmicas de mudança temporalmente mais curtas e que o concelho não pode estagnar. Reconhecemos que um dos pilares é a regeneração urbana”, pelo que “nesse sentido iremos ouvir todos os oliveirenses que nesta área sejam qualificados ou não. Queremos ter noção de todos os aspetos técnicos, mas também queremos saber qual o parecer dos oliveirenses”.

Leia mais na versão digital do seu JB.