A Associação dos Amigos de Perrães (AMPER) acaba de disponibilizar, no Lar Dr. Álvaro Santos, um serviço de Gerontologia, anunciou o presidente da direção desta IPSS, Luís Rabaça. O serviço de gerontologia procura abranger desde a promoção de um envelhecimento saudável até ao tratamento e à reabilitação do idoso. “Visa, por isso, a prevenção e a intervenção para garantir a melhor qualidade de vida possível dos idosos até o momento final da sua vida”, explicou Luís Rabaça, dando conta que a abertura deste serviço só foi possível, devido “ao apadrinhamento da empresa GALSUP que, desafiada para o efeito, doou o importante equipamento – uma marquesa elétrica – que nos vimos na necessidade de adquirir para melhor rentabilizar todas as funções e objetivos inerentes.         
Luís Rabaça explica que a AMPER decidiu abrir este serviço, porque sentiram “claramente a necessidade de começar a promover e a disponibilizar esta oferta aos nossos utentes da Estrutura Residencial para Idosos/Lar de Idosos Dr. Álvaro Santos, num trabalho que pretendíamos de muito maior proximidade e com uma frequência distinta do que estava a ser ministrado por e em entidade externa à Instituição”.
“Ora tendo na Estrutura da AMPER alguém com qualidades humanas sobejamente reconhecidas, conhecimentos e com especialização na área, como é o caso da professora Raquel Granjeia (já fazia parte da equipa de professores do AMPER Gym), tendo avaliado da oportunidade e necessidade do serviço, primeiro junto da equipa técnica da AMPER e depois junto dos próprios familiares dos nossos utentes; e tendo ainda dentro do próprio Lar de Idosos local disponível e adequado ao efeito, foi só cruzar tudo e mais uma vez procurar primar pela qualidade, proximidade e diferença”, acrescentou Luís Rabaça, dando conta que “a prestação deste serviço arrancou com nove utentes, duas vezes por semana”.

Satisfação. Daniela Barros, diretora técnica do Lar de Idosos Dr. Álvaro Santos, apesar do pouco tempo de existência do serviço, faz um balanço positivo, relembrando que foi avaliado pela equipa técnica como “necessário e emergente, dadas as necessidades dos utentes”.
A diretora técnica explica ainda que “foi necessário efetuar a adaptação do espaço, já que o Lar – à semelhança de quase todos – não tinha sido pensado para receber este serviço”. “Os utentes estão muito satisfeitos com o serviço e as melhorias do ponto de vista de autonomia de alguns já são visíveis”, afirma Daniela Barros, acrescentando que “os utentes veem este serviço como uma mais valia”.
Daniela Barros dá conta ainda que, “o serviço ainda não chegou a todos os utentes”, afirmando que “o mesmo também vai ser alargado a todos os sócios da AMPER”.