A direção da Amper viu cumprido mais um sonho, no dia 14 de outubro, com a inauguração do relvado sintético no seu polidesportivo descoberto. O presidente Luís Rabaça congratulou-se pelo crescimento da instituição, frisando que “haverá poucas instituições no país como esta que, para além das suas obrigações sociais, procurem desenvolver valências na área cultural, recreativa e desportiva”.
Dirigindo-se a Mário João Oliveira, na reta final do seu mandato autárquico, Luís Rabaça salientou “a forma extraordinária como sempre pautámos a nossa relação, Amper e Câmara”. “Foi um prazer trabalhar consigo ao longo destes 12 anos, particularmente ao longo dos últimos três, em que trabalhámos de forma mais direta. Obrigado por nunca nos ter abandonado.”
Luís Rabaça endereçou também uma palavra ao ex-presidente da direção Jorge Mendonça, ali presente, em cujo mandato a Amper verdadeiramente cresceu, quer com a ampliação do edifício principal, quer com a construção do salão polivalente e da zona desportiva (que inclui, para além do campo de futsal, uma piscina e balneários).

O arrelvamento sintético, inaugurado no passado sábado, teve um custo total de 18 mil euros, dos quais 12 mil foram suportados pela Câmara Municipal. A Junta de Freguesia de Oiã (presidente Victor Oliveira também esteve presente) comparticipou com 500 euros.
Mário João Oliveira, neste que foi um dos últimos atos públicos a que presidiu, sublinhou que os apoios dados à Amper ao longo dos anos “foram e são verbas bem aplicadas, ao melhor serviço, desde a infância aos seniores”, dirigindo um “bem-haja a todos os que se dedicam a estas causas”.