De um espólio de cerca de 50 mil fotografias, a maior parte de paisagens e da natureza da Pateira, Armindo Ferreira teve que selecionar 28 trabalhos para uma exposição que está patente, até final de maio, no salão da Junta de Freguesia de Fermentelos, no âmbito dos 90 anos da elevação a vila.

Os disparos fotográficos únicos deste antigo jogador e treinador de futebol, que casou e reside em Fermentelos, já lhe valeram quatro publicações na conceituada revista National Geographic, a edição de um livro e vários prémios, dois deles no desafio Quercus – BMW, entre um universo de 530 registos participantes.

Depois de uma vida ligada ao futebol como guarda-redes e técnico, que acabou num despedimento quase coletivo no Beira-Mar, facto que o levou a nunca mais ver um jogo, Armindo Ferreira decidiu comprar uma máquina fotográfica para registar aves, algo que já muito admirava na natureza.

Num começo tímido cheio de experiências, sem qualquer formação, o “encantador de aves”, como já é apelidado por algumas pessoas do seu meio, insistiu em voltar a objetiva para a lagoa encantada da Pateira, recuperou uma lente ligeiramente danificada, oferecida por um amigo, e voltou à carga. “Cada dia que passava passei a exigir mais de mim, fui fazendo fotos com mais qualidade e os resultados foram aparecendo”, conta Armindo Ferreira.

Os registos feitos sobre a Pateira despertaram a Sana Editora, que acabou por desafiar o fotógrafo a fazer parte do livro “Pateira de Fermentelos – A Lagoa Encantada”, obra que já vai na segunda edição.

João Paulo Teles

Leia a reportagem completa na edição de 24 de maio 2018 do JB