De 15 de agosto, até ao próximo domingo, dia 19, todos os caminhos vão dar a Covões, no concelho de Cantanhede.
Naquele que é o XIII Festival de Leitão, organizado pela PRODECO, o Pavilhão de Covões volta a ser palco de um evento gastronómico e cultural que é já uma referência na região.
A apresentação do certame teve lugar na última segunda-feira, no Museu da Pedra, em Cantanhede.
Na ocasião, Paulo Oliveira, presidente da secção de Futebol da PRODECO, admitiu que, de ano para ano, o número de visitantes tem crescido, sobretudo de estrangeiros. “Queremos sempre o máximo e o melhor, mas se pudéssemos ultrapassar as cinco mil pessoas era fantástico”, diz, sublinhando ser esta também uma forma de homenagear os emigrantes da União de Freguesias e do concelho: “Queremos continuar a garantir que eles podem estar presentes neste festival”.
À semelhança das anteriores edições, o leitão volta a ser o rei e o prato principal do festival. O certame, que começa amanhã, dia 15, serve almoços e jantares nos dias 15 e 19. Nos restantes dias: 16, 17 e 18, apenas serve jantar.
Quatro assadores da localidade de Covões estão responsáveis por fornecer todos os leitões que vão ser degustados a cada refeição. O preço por dose (para 2 pessoas) ronda os 19 euros.
Para além do leitão assado à Bairrada, os visitantes e apreciadores poderão ainda deliciar-se com novidades tais como pão de leitão e paté de leitão, mas também com o arroz de cabidela de leitão, cabidela de leitão com batata, feijoada de leitão, folhado de leitão, bôla de leitão, rissóis de leitão e sandes de leitão, tudo acompanhado pelos vinhos e espumantes da Adega de Cantanhede, que se associa a este evento pelo segundo ano consecutivo. Na carta de vinhos, há este ano quatro espumantes, dois vinhos tintos e dois vinhos brancos.
 
Animação variada. Este ano, a animação foi deslocalizada para o exterior do pavilhão que não tinha boa acústica. Assim, no interior onde vão ser servidas todas as refeições haverá apenas música ambiente. Cá fora, a animação vai contar com  a presença do Coro Juvenil Academia de Música de Cantanhede e dos alunos de canto da Escola de Música da Filarmónica de Covões, Escola de Samba da “Tijuca”, Banda Filarmónica de Covões e Banda Filarmónica de Cumberland (EUA), Marcha Popular de Vilamar, Tuna dos Serviços Sociais da Câmara de Cantanhede, Fado de Coimbra e de Lisboa.
Paulo Oliveira acrescenta ainda que, para além da promoção do leitão, esta é uma iniciativa que dinamiza a economia local, mas que tem igualmente um objetivo filantrópico, já que as receitas revertem a favor das atividades desportivas da  PRODECO. No entanto, acredita que, este ano, poderá ser dado o pontapé de saída para uma “feira que pode vir a ganhar uma outra dimensão”.