Um grupo de comerciantes de Bustos esteve na Assembleia Municipal ordinária de dezembro, na sexta-feira, dia 6, a pedir intervenção da Câmara para a criação de lugares de estacionamento nas principais artérias da vila e a condenar a “repressão e intolerância” da GNR perante a falta de lugares para estacionar.
Este assunto acabou por dominar a reunião, alastrando a discussão à questão ao centro da cidade de Oliveira do Bairro, onde o deputado do UPOB, Acácio Oliveira, chegou mesmo a defender a instalação de parquímetros para regular o estacionamento no miolo da cidade.
O bustoense Paulo Alves foi o porta-voz de um grupo de comerciantes daquela vila, no espaço reservado à intervenção do público, apontando que em toda a extensão do centro de Bustos “há apenas 28 lugares de estacionamento” e uma “polícia repressiva que multa por tudo e por nada os carros mal estacionados”.

Na resposta ao munícipe, o presidente da Câmara informou que a autarquia já esteve com os seus técnicos e com a GNR de Bustos para analisar a situação na zona central da vila, admitindo que “há zonas, principalmente a sul, onde é possível fazer alterações, uma vez que os passeios permitem estacionar e a passagem para peões”. 
Admitindo “algum excesso de zelo” das autoridades, Duarte Novo reiterou que está a verificar com a GNR a possibilidade de se encontrarem mais espaços para estacionamento, apesar da existência de “constrangimentos nas curvas e entradas para propriedades”.

Leia a reportagem completa na edição de 12 de dezembro 2019 do JB