Paulo Figueiredo foi reeleito presidente da concelhia do PSD, nas eleições realizadas no passado sábado, dia 11, num processo marcado pela aparente unidade interna em torno do partido, com listas únicas a sufrágio.
Com as autárquicas no horizonte, a menos de dois anos, os órgãos locais dos social democratas estão repletos de antigos dirigentes e outros que chegaram mesmo a fazer parte de uma lista adversária à do atual presidente da concelhia, nas eleições de 2018.
Como grandes notas, destaca-se a ausência na lista de António Mota, atual vereador e ex-candidato à Câmara, apesar de ter lugar assegurado por inerência na concelhia, e a entrada de Laura Pires, que disputou as eleições internas com Paulo Figueiredo em 2018 e que agora assume a posição de liderança na Coordenação Estratégica do partido.
Entre as novidades, fazem parte também Amílcar Pereira, eleito para presidir a Mesa da Assembleia de Secção, que tem também os nomes de João Paulo Sol e Amílcar Mota.
De regresso estão também Marcos Martins e Miguel Coelho, assim como Vítor Mota, este último vice-presidente ao lado de Álvaro Ferreira.

Leia a notícia completa na edição de 16 janeiro 2020