Foi em meados do ano de 2007 que Graça Veiga, na altura a frequentar um curso de Gerontologia, trouxe a modalidade de Boccia para Avelãs de Caminho.
Uma modalidade que rapidamente se implementou e cresceu, fruto de uma parceria com a Junta de Freguesia, na altura liderada pelo autarca César Andrade, tendo recebido também o apoio da Casa do Povo que tem cedido, até  ao presente, as instalações para os treinos, prestando ainda o indispensável apoio logístico.
Na zona Centro foi um dos primeiros grupos a formar-se com a particularidade de ser dos poucos que nasceu no seio da comunidade e é dinamizado por uma Junta de Freguesia.
As vitórias e campeonatos conquistados são um alento e força ainda que as condições de treino não sejam as melhores devido ao piso (cerâmica), assim como a média de idade dos jogadores, que tem vindo a aumentar. Por isso deixam o apelo a que avelanenses mais jovens entrem para o grupo.
 
Da brincadeira
a caso sério de sucesso
Assim, desde há 13 anos, primeiro com o autarca César Andrade e agora com a presidente de Junta, Lúcia Rodrigues, o Boccia continua a ter todo o apoio necessário para a sua prática, sendo uma ótima terapia para quem chega à idade da reforma. O convívio e os laços afetivos acabam por ser uma  forma dos séniores da freguesia se encontrarem e manterem ativos.
Ainda que a modalidade tenha começado, quase por uma brincadeira, associada ao curso que a treinadora e mentora Graça Veiga estava a tirar, juntando um grupo sénior avelanense na Casa do Povo local, a verdade é que de imediato conquistou adeptos. Ainda não tinha completado um ano de vida e em meados de 2008, impulsionado pela Junta de Freguesia, abriram-se inscrições para criar formalmente uma equipa que representasse a freguesia em competições. Nesse mesmo ano, seria organizado o I Torneio de Boccia da Bairrada, que decorreu no Pavilhão de Desportos de Anadia e o grupo de Avelãs de Caminho começa a trilhar um caminho de prémios e títulos, ainda que seja um grupo cem por cento amador. “Mais importante do que subir ao pódio, é o convívio e espírito de equipa existente”, defendem, mas na realidade, destacam-se o 1.º , 2.º e 3.º lugares num Campeonato Nacional na Zona Centro.
Neste momento integram o grupo 18 seniores (dos 60 aos 84 anos), com treinos semanais (duas a três vezes), ainda que alguns dos praticantes cheguem a treinar diariamente (manhã e noite).
 
Ler mais na edição impressa ou digital