A autarquia de Cantanhede avançou já com a criação de uma base de apoio logístico com 50 camas para descanso de agentes de proteção e socorro e de um alojamento de emergência com 100 camas, neste caso para acolhimento de pessoas que precisam de permanecer em isolamento. A Comissão Municipal de Proteção Civil de Cantanhede reuniu na quinta-feira, dia 26, para fazer um ponto da situação relativamente às medidas já implementadas para prevenir a propagação do coronavírus (COVID-19) e preparar respostas para um eventual acentuar do surto epidemiológico no concelho.

A líder do executivo camarário cantanhedense insiste que “trata-se apenas de uma medida cautelar, para não sermos apanhados desprevenidos caso a situação epidemiológica se agrave, sendo certo que a nossa esperança é que não venha a ser preciso nada do que tem vindo a ser preparado para responder a uma eventual agudização da crise. Para já, a palavra de ordem é prevenção, prevenção, prevenção em todas as frentes”, afirma Helena Teodósio.

A comissão deliberou, por unanimidade, não acionar ainda o Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil, atendendo a que estão a ser desenvolvidas as ações consideradas necessárias para fazer face às ocorrências, estando também garantida a coordenação e comunicação necessárias à implementação de medidas adicionais e à ativação imediata do referido plano caso venha a ser necessário.

Outra medida que o Município de Cantanhede tem em curso é a constituição de reservas de recursos humanos e de meios materiais, com especial relevância para os equipamentos de proteção individual, de modo a garantir uma reserva estratégica em situação de crise, processo em que está a investir adquirindo diretamente esses materiais e equipamentos para reforçar o que está previsto receber a esse nível no âmbito da CIM Região de Coimbra. 

Finalmente, a Comissão Municipal de Proteção Civil de Cantanhede dispõe nesta altura de um centro de operações municipais para acompanhamento e monitorização da situação epidemiológica no território do concelho. Nesse sentido, foram instalados no Salão Nobre dos Paços do Concelho vários equipamentos tecnológicos de informática e telecomunicações. O centro de operações municipais funciona em permanência caso seja necessário, encontrando-se disponível toda a informação relativa ao surto epidemiológico em base de dados georreferenciada (SIG COVID) para análise e decisão em tempo real.