As empresas do Grupo Preceram (Preceram, Preceram Norte, Argex, Só Argilas, Gyptec, e Volcalis), com unidades na Bairrada (em Bustos e Aguada de Baixo), continuam a exercer a sua atividade, apesar de decretado o estado de emergência no país, mas com as restrições e condicionalismos que a situação atual exige. 

O grupo refere que este estado de emergência, que decreta a proibição do desenvolvimento de determinadas atividades consideradas não indispensáveis, o confinamento e restrições aos movimentos das pessoas, de forma minimizar a propagação do novo coronavírus, terá naturalmente consequências e efeitos na economia. “No entanto, para que o país não estagne totalmente, continue a funcionar, e de modo a preservar os postos de trabalho de todos os nossos colaboradores, nós nas empresas do Grupo Preceram, não paramos”, refere. 

Para este conjunto de empresas, o sector da construção, ficou na lista das atividades consideradas indispensáveis durante este período de emergência e, “para que o país funcione, não paramos e iremos manter o nosso funcionamento o mais normal possível”.

Face a este desafio, o Grupo Preceram diz ter implementado um conjunto de medidas para que de uma forma segura continue a servir os seus clientes e consequentemente o sector da construção. Entre as medidas destaque-se o facto de temporariamente e até que a situação estabilize, não são permitidas visitas comerciais ou outras às instalações das empresas que não sejam extremamente necessárias. 

Os contactos presenciais com a equipa estão limitados. Para dar seguimento às solicitações e demais pedidos de informações, deverá sempre ser dada preferência aos contactos via telefone ou e-mail.

No atendimento ao público, foram estabelecidas limitações ao número de pessoas, de forma a assegurar a distância de segurança para todos. Em todas as empresas do Grupo Preceram, apenas é permitida a presença e o atendimento de uma pessoa de cada vez. A espera é feita no exterior do escritório com todos os cuidados necessários e respeitando as recomendações da Direção Geral de Saúde e da Organização Mundial de Saúde. Foi também naturalmente e de forma rigorosa reforçada a limpeza e a desinfeção das superfícies das instalações sociais, balneários e postos de trabalho.

“O Grupo Preceram continua assim, em funcionamento e à disposição dos seus clientes e fornecedores, trabalhando em prol do sector da construção que ao não parar, irá definitivamente ajudar a economia nacional a ter uma quebra menor. Se todos contribuirmos, sairemos desta anunciada crise da forma menos difícil”, conclui nota do grupo.