A presidente da Junta de Freguesia de Pampilhosa aproveitou a passagem do 35.º aniversário da elevação daquela localidade a vila para lançar um alerta sobre a economia local, salientando que a Pampilhosa “vive um período de estagnação económica, caindo aos poucos à condição de dormitório”.

Rosalina Nogueira, num texto publicado na página oficial da autarquia no Facebook, lamenta que “volvidos 35 anos de elevação a vila e num período tão controverso, onde as indústrias do barro, e outras aqui anteriormente instaladas, se extinguiram por não acompanharem o progresso” tenham levado a Pampilhosa a viver o referido período de estagnação económica.

Leia a notícia na íntegra na edição impressa de 16 de julho. Entretanto, pode ler já aqui.