Orçadas em cerca de 350 mil euros, as obras de requalificação da EM 334/Rua São José de Cluny e Largo Madre Maria de Fátima, em Famalicão, Anadia, avançam com algum atraso, em relação ao projetado, devido à pandemia que obrigou à suspensão dos trabalhos nos meses de março e abril. Por isso, tanto a presidente de câmara como o presidente da junta da União de Freguesias de Arcos e Mogofores pedem à população um pouco mais de paciência, sendo certo que a obra será uma mais valia para a localidade.

Obra complexa
e demorada
Na última quinta-feira, o executivo da câmara municipal de Anadia esteve na obra, onde foi feito um ponto de situação, prevendo-se que a mesma fique terminada durante o mês de outubro.
A edil anadiense, aproveitando a presença do executivo da Junta de Freguesia da União de Freguesias de Arcos e Mogofores, também se inteirou das principais preocupações e lamentos da população e comerciantes.
Aliás, Teresa Cardoso reconhece as queixas dos moradores, a braços com o pó e lama, mas também dos comerciantes que viram o acesso aos seus espaços comerciais condicionado, uma vez que as estradas têm estado vedadas ao trânsito, para além de todos os constrangimentos causados pela pandemia. “Infelizmente não há uma época boa para fazer as obras. Seja no verão ou no inverno são sempre ingratas”, avançou Teresa Cardoso.
Inicialmente previstas para oito meses, as obras que se iniciaram em setembro de 2019 não vão estar prontas antes de outubro.

Ler mais na edição impressa ou digital