É já amanhã (domingo), dia 26 de julho, Dia de Santa Ana, Santa Padroeira da cidade da Mealhada e da Santa Casa da Misericórdia da Mealhada (SCMM), que esta instituição centenária lança a primeira pedra do seu futuro Complexo Social. A cerimónia simbólica pretende assinalar o início da construção do novo empreendimento e contará com a presença do Bispo de Coimbra, D. Virgílio Antunes – que virá benzer a primeira pedra do novo complexo – do Diretor da Segurança Social de Aveiro, Fernando Mendonça; do Presidente da Câmara Municipal da Mealhada, Rui Marqueiro; e do Provedor da SCMM, João Peres.

Inserida nas Comemorações de Santa Ana, Padroeira da cidade da Mealhada e da SCMM – este ano celebradas de modo condicionado, fruto da Covid-19 – a cerimónia de bênção da primeira pedra decorrerá imediatamente após a Eucaristia por honra da Padroeira, que terá lugar no recinto exterior da Capela de Santa Ana, de forma a garantir o estrito cumprimento das regras de segurança de todos os presentes. A bênção da pedra decorrerá no espaço do atual Mercado da Mealhada, local onde se irá erguer o futuro empreendimento.

Bruno Peres, diretor-geral da SCMM, descreve que o futuro Complexo de Respostas Sociais da SCMM “incluirá Estrutura Residencial Para Idosos (ERPI), serviços de Apoio Domiciliário e Centro de Dia (para 40 e 60 utentes, respetivamente), para além do edifício de Serviços Partilhados. A unidade residencial para idosos terá capacidade para 120 residentes, divididos em duas tipologias de habitação, quartos e apartamentos”.

Segundo o responsável, “este novo empreendimento – com os seus jardins, espaços de convívio e de atividade física, intelectual e recreativa – será um equipamento fundamental na missão da SCMM de potenciar e promover o envelhecimento ativo e saudável dos utentes da área de Geriatria”.

Este projeto nasce para “responder à problemática da sustentabilidade e da melhoria das condições. A SCMM assumiu como principal objetivo para os próximos anos, a remodelação das ERPI’S da instituição, através da construção de uma nova estrutura com capacidade de englobar a capacidade atual. Procuramos também responder aos desafios estratégicos da área de intervenção da Geriatria, nomeadamente a procura de eficiência operacional e aumento da qualidade dos serviços prestados bem como a diversificação da oferta”, conclui Bruno Peres.