A Câmara da Mealhada aprovou, em reunião de Executivo Municipal, a manutenção do atual Conselho Diretivo da Fundação Mata do Buçaco (FMB) até dezembro de 2020, data limite apontada pelo Governo para a revisão do Decreto-Lei que estabelece o modelo de gestão da FMB.

O Executivo Municipal aprovou, por maioria, a sugestão do Secretário de Estado da Conservação da Natureza, das Florestas e do Ordenamento do Território, João Paulo Catarino, de manter, até final do ano, o atual Conselho Diretivo da FMB, cujo presidente é António Gravato, que terminava em agosto a sua comissão de serviço.

Em missiva enviada à Autarquia, João Paulo Catarino compromete-se a rever, até dezembro, o diploma relativo ao modelo de gestão da FMB (Decreto-Lei nº 58/2014, de 15 de abril), conforme tem sido reivindicado pelo Executivo Municipal, afirmando a sua concordância face à necessidade de alteração.

Rui Marqueiro, presidente da Câmara da Mealhada, adiantou que a Autarquia não tinha intenção de indicar ninguém para o Conselho Diretivo, uma vez que a nomeação, juntamente com a forma de financiamento, são algumas das questões a alterar. Porém, face às garantias e disponibilidade apresentadas pela Secretaria de Estado para a resolução dos problemas existentes, o Executivo Municipal acabou por deferir, por maioria, o pedido de prorrogação feito pelo secretário de Estado das Florestas.