Oriana Pataco, Diretora do Jornal da Bairrada

Laura Pires foi a primeira autarca com quem lidei diretamente quando comecei a trabalhar num jornal regional na Bairrada. Marcou-me desde logo a sua postura afável e disponível, a par de um caráter vincado e de convicções fortes. Gostava da forma como defendia as causas por que se batia, em particular nas áreas da Educação, da Cultura e da Ação Social, e achava surpreendente uma mulher tão jovem ter tamanha bagagem intelectual e cultura, para além de uma sensibilidade e humanismo que lhe permitiam ser querida por todos.

Criei por ela uma admiração profissional que se mantém até hoje, e, sabendo sempre manter as distâncias institucionais que se impunham, desenvolvemos uma relação de enorme respeito e carinho.

Ficam-me na memória as suas intervenções enquanto vereadora da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro, colocando sempre em primeiro lugar os interesses do seu concelho e os valores da democracia. “Sou filha do 25 de Abril”, dizia com orgulho e era-o de facto, por nascimento (a 31 de janeiro de 1975), e por convicção.

A morte prematura de Laura Pires deixa um vazio na política concelhia, mas também regional e nacional. Tinha muito para dar mas a doença não lhe permitiu ter tempo nem forças para mais.

Por ironia, o período em que mais tempo privei com ela foi durante o projeto “Dou mais tempo à vida”, promovido pela Liga Contra o Cancro em Oliveira do Bairro (2018), em que a Laura se voluntariou para dar o seu testemunho enquanto doente oncológica, sempre com um sorriso nos lábios, transmitindo mensagens de esperança a outros na mesma situação. Recentemente, encontrávamo-nos com mais frequência, porque fazíamos ambas parte da direção do Círculo de Cultura Musical da Bairrada. Essa era outra área a que era sensível, o associativismo, e a gratidão de todos e de cada um ficou bem visível nas inúmeras homenagens que lhe prestaram, nas redes sociais e nas cerimónias fúnebres do passado sábado.

A nível local, são dignas de registo obras emblemáticas idealizadas e/ou inauguradas enquanto vereadora: os oitos polos escolares e o Quartel das Artes Dr. Alípio Sol; projetos na área social como o “Espaço Mudança” ou o “Remobilar”, entre tantos outros.
Laura Pires foi, é e será sempre uma referência na história do concelho de Oliveira do Bairro. Merecerá certamente, a seu tempo, a devida homenagem.