Assinar


Cantanhede // Economia // Vinho  

Dois vinhos da Adega de Cantanhede premiados pelo Crédito Agrícola

Os dois vinhos da Bairrada foram distinguidos com Medalha de Ouro, no 8.º Concurso de Vinhos do Crédito Agrícola, promovido por esta instituição bancária, em parceria com a Associação dos Escanções de Portugal.

Dois vinhos da Adega de Cantanhede, um branco e um tinto, foram distinguidos com Medalha de Ouro, no 8.º Concurso de Vinhos do Crédito Agrícola, promovido por esta instituição bancária, em parceria com a Associação dos Escanções de Portugal. Na categoria de vinhos brancos, foi distinguido o Conde de Cantanhede Grande Reserva 2015 da Adega Cooperativa de Cantanhede. No que respeita aos vinhos tintos, foi reconhecido o Conde de Cantanhede Grande Reserva 2013.

A cerimónia de anúncio decorreu no Ritz Four Seasons Hotel, em Lisboa, no dia 26 de Novembro. A entrega dos prémios contou com a presença da Ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, de Bernardo Gouvêa, Presidente do IVV- Instituto da Vinha e do Vinho, entidade que certifica o Concurso, desde a primeira edição e Licínio Pina, Presidente do Crédito Agrícola.

Dos 167 vinhos brancos, tintos e espumantes colocados à prova por 101 produtores nacionais das várias regiões vitivinícolas do país, o júri distinguiu, durante as provas cegas realizadas a 5 e 6 de Novembro, 53 vinhos com a Tambuladeira dos Escanções de Portugal, 3 com a Grande Medalha de Ouro e 50 com medalhas de ouro. Entre o painel de Júri, destaque para William Wouters, Presidente da ASI – Associação Internacional de Escanções.

Além das medalhas entregues à Região da Bairrada, foram ainda distinguidos vinhos oriundos das regiões vitivinícolas de Vinhos Verdes (duas medalhas), Trás-os-Montes (uma medalha), Douro (11 medalhas), Beira Interior (uma medalha), Dão (nove medalhas), Tejo (quatro medalhas), Lisboa (quatro medalhas), Península de Setúbal (três medalhas), Alentejo (15 medalhas) e Algarve (uma medalha).

A iniciativa do Crédito Agrícola pretende apoiar o setor vitivinícola e o desenvolvimento das economias locais, especialmente as Cooperativas e os Produtores, promovendo e colocando à prova a qualidade dos vinhos nacionais.