O mau tempo que se fez sentir com maior incidência no último fim de semana causou muitos estragos por toda a região.
Os concelhos de Anadia e de Oliveira do Bairro, embora fustigados pela intempérie, viveram situações diferentes, tendo Anadia sido o mais atingido.
De acordo com a comandante Ana Matias, dos Bombeiros de Anadia, entre os dias 13 e 15 de fevereiro, em sequência aos avisos meteorológicos divulgados para precipitação intensa e vento fortes, a corporação teve de intervir de uma forma quase ininterrupta às inúmeras chamadas de pedido de ajuda que chegavam à central.
Assim, registaram-se 30 ocorrências: 10 saídas para inundação (Famalicão; Mogofores; Anadia; Malaposta; Avelãs de Caminho); oito saídas para quedas de árvores (Vilarinho do Bairro; Sangalhos; Avelãs de Cima; Poutena); sete saídas para desabamento de estruturas móveis e estruturas edificadas (postes de eletricidade/telecomunicações, painéis publicitários, sinalização vertical e pequenos danos em casa de habitação) na Curia, Ferreiros, Mogofores, Anadia e cinco saídas para patrulhamento e vigilância, um pouco por todo o concelho, com especial relevância nas zonas mais afetadas de Mogofores, Malaposta, Famalicão, Arcos, São João da Azenha, Anadia e Algeriz.
Ainda segundo a comandante anadiense, “nos dias mencionados foram reforçados os meios operacionais no Corpo de Bombeiros e realizadas várias saídas em patrulhamento com o objetivo de verificar as zonas e acessos mais propícios a cheias e inundações.” Desse patrulhamento realizado em articulação com os serviços de piquete da Câmara Municipal de Anadia foram interditadas e sinalizadas algumas vias de acesso em Mogofores, Canha, Malaposta, Avelãs de Caminho, São João da Azenha e Algeriz.
De sublinhar que a zona de Arcos e Famalicão foi também afetada pela subida do nível da água dos rios da Serra e Cértoma levando também à interdição das vias de acesso. “As ocorrências verificaram-se dentro do habitualmente previsto para este tipo de condições meteorológicas adversas e nas zonas mais vulneráveis a cheias e inundações”, refere a responsável, acrescentando que nos dias seguintes se mantiveram as ações de patrulhamento e reforço para verificação das condições existentes bem como o apoio a edifícios de habitação nas zonas afetadas pela subida do nível de água de inundação.

No concelho de Oliveira do Bairro, os rastos de destruição provocados pelo mau tempo não são muito significativos. Marco Maia, Comandante dos Bombeiros de Oliveira do Bairro, refere que no sábado foram registadas duas inundações e no domingo cerca de cinco cortes de árvore. “Posso dizer que o nosso concelho esteve muito calmo em contraste com os nossos concelhos vizinhos”, disse.

CC