Recortes.pt Leia no Recortes.pt

Arquivo | Destaque

Escola Básica e Secundária de Anadia: Falta de certidão do Registo Predial compromete comparticipação comunitária

Escola Básica e Secundária de Anadia: Falta de certidão do Registo Predial compromete comparticipação comunitária

 

A inexistência de uma certidão do Registo Predial que comprove que a titularidade dos terrenos onde está a ser implantada a nova Escola Básica e Secundária de Anadia pertence à Parque Escolar/Ministério de Educação pode colocar em causa a comparticipação da obra por parte dos Fundos Comunitários.

Autarca preocupada. O alerta foi deixado pela autarca Teresa Cardoso, durante a última assembleia municipal, realizada no passado dia 29 de abril.
Desafiada pelo deputado e presidente da Concelhia de Anadia do PSD, Henrique Fidalgo, a explicar a razão por que parece estar mais preocupada com a titularidade dos terrenos da atual ESA e da EB 2/3 de Anadia do que com a conclusão da nova escola, a edil anadiense rebateu a acusação elencando as várias fases do processo e o seu envolvimento pessoal, tendo-se desdobrado em contactos e reuniões com Ministro da Educação e Secretários de Estado da Educação, bem como com a Parque Escolar, no sentido de pressionar para retomar a obra e saber da sua conclusão.

Perda de financiamento. Agora, explicou, com a obra na reta final, a autarca relembra que existe uma questão que tem de ser rapidamente ultrapassada, sob pena de se poder perder financiamento europeu.
A questão prende-se com a titularidade dos terrenos onde está a ser construído o novo equipamento escolar.
Durante a sessão, Teresa Cardoso defendeu a “permuta de terrenos e edifícios” para que tanto a EB 2/3 como a ESA não fiquem ao abandono, depois da entrada em funcionamento da nova escola. “Os edifícios já estão bastante degradados e sabemos que depois de desativados, ficam ao abandono”. A edil lamentou ainda que sobre esta matéria, até àdata, não haja resposta da tutela, embora tenha, no passado, existido um compromisso verbal de que aqueles terrenos e equipamentos passariam para a mão da autarquia com a construção do novo equipamento escolar em terrenos cedidos pelo município.

Burocracia. Com o passar do tempo e com a obra a chegar ao fim, Teresa Cardoso mostra-se preocupada com o impasse, mas também com o tempo que a Direção Geral do Património do Estado (tutelada pelo Ministério das Finanças) demora a tratar qualquer questão que se relacione com o património do Estado. Aliás, esta terá sido uma das várias questões que abordou com Pedro Passos Coelho, aquando da recente deslocação do Primeiro-Ministro ao concelho. “Este é um problema transversal a todos os municípios. Esbarra-se sempre no Ministério das Finanças/Direção Geral do Património do Estado sempre que é necessário resolver algum assunto seja com que ministério for, desde que envolva património.”
A edil adiantou ainda a disponibilidade da Parque Escolar “para suportar os custos com a avaliação” até ao momento por fazer, embora saiba que da avaliação até ao acordo final pode passar bastante tempo. E dá como exemplo o caso dos Dispensários de Serviço de Luta Anti-Tuberculose – SLAT (existem dois no concelho – um em Sangalhos e outro em Anadia – este último praticamente em ruínas) avaliados em dezembro de 2014, mas que ainda não passaram para a posse da autarquia.
A edil explicou aos deputados que, sendo a nova escola uma obra financiada pelos Fundos Comunitários, é preciso que se comprove, através de certidões do Registo Predial, a posse dos terrenos. “A Parque Escolar tem de fazer prova de que os terrenos são seus”, explicou, dizendo ainda que “neste momento, os terrenos são do município. É preciso resolver esta matéria sob pena de não poderem encerrar a candidatura relativa à obra”. Uma situação que, na pior das hipóteses, pode levar à perda total do financiamento comunitário por parte desta obra, ou seja, vários milhões de euros.
A JB Teresa Cardoso avançou também que ainda no mandato do ex-autarca Litério Marques “quando começaram as negociações, os terrenos onde estam a EB 2/3 e a ESA nem sequer estavam registados”, defendendo agora que para ambas as partes (município e Ministério da Educação) a permuta de terrenos e equipamentos será a melhor solução.
Teresa Cardoso destaca ainda que esta não deveria ser apenas uma preocupação do município mas, sobretudo, do Poder Central que pode sair bastante prejudicado.

Catarina Cerca

Posted in Anadia, Destaque, Por Terras da Bairrada, Região0 Comentários

FESTAME com lotação esgotada de expositores

FESTAME com lotação esgotada de expositores

A FESTAME – Feira do Município da Mealhada, está a rejeitar expositores por ter atingido o número máximo adequado ao espaço e à segurança do certame, disse o vereador da Câmara, José Calhoa, no decorrer da última reunião do executivo, no dia 4 de maio.

“Estamos com um problema, na medida em que há o dobro de inscrições para os espaços da feira”, disse o vereador, indicando que a organização está a devolver inscrições, dando prioridade a expositores do concelho.

Contas feitas, segundo José Calhoa, a FESTAME terá 35 espaços para empresas gerais, 31 stands de produtos alimentares, 8 instituições, 10 stands para o setor agrícola, 90 para o artesanato, mais seis espaços institucionais (Câmaras vizinhas e associações empresariais) e três stands para o setor automóvel.

“Não há espaço para mais e temos que acautelar as situações de segurança”, justificou o vereador, indicando que terá que ser feito um rateio para selecionar os expositores a estarem presentes nesta edição que vai decorrer de 9 a 14 de junho, na Zona Desportiva da Mealhada. A propósito deste certame, Rui Marqueiro defendeu, nesta reunião, que no futuro o artesanato deveria voltar ao jardim, onde nasceu esta feira, deixando os restantes expositores na atual localização. “Assim animávamos o centro da cidade”, pois “sou a favor de espalhar os eventos e não os fixar todos na zona desportiva“, disse o edil.

João Paulo Teles

Posted in Destaque, Mealhada, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Expo Bairrada de 10 a 19 de julho

A Expo Bairrada, evento que vai substituir a FIACOBA, realiza-se de 10 a 19 de julho no Espaço Inovação. A iniciativa, que foi apresentada na penúltima quinta-feira, 30 de abril, com um orçamento que ronda os 250 mil euros, tem como objetivo dar a conhecer o que de melhor se faz no concelho e na região. As entradas custam de 1 a 1,50 euros.
O presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro, Mário João Oliveira, referiu que “a Expo Bairrada aposta numa programação que espelha múltiplas experiências que só a região bairradina é capaz de proporcionar, desde a gastronomia à enologia, passando pelo artesanato e desporto equestre, com uma crescente adesão do tecido empresarial regional”, explicando que “a feira se afirma, cada vez mais, como um certame de múltiplas experiências num só espaço e como palco privilegiado para a afirmação e desenvolvimento da economia regional”.
Mário João Oliveira acrescentou ainda que “Oliveira do Bairro, em conjunto com Aveiro, é dos poucos municípios a possuir um equipamento específico para exposições”, sublinhando que “a FIACOBA, desde que passou para o Espaço Inovação, deu um pulo muito grande”. Contudo, “não há duas feiras iguais. Não há dois anos iguais, até pela conjuntura e uma série de outros acontecimentos”. Além da mudança de nome, “temos vindo a fazer um trabalho de engrandecimento da feira”, justificou o edil.
O autarca garantiu ainda que “a Expo Bairrada será uma das maiores edições, quer em termos de expositores, que em termos de visitantes”.

Espetáculos. Mário João Oliveira diz que, ao longo dos 10 dias, o programa da Expo Bairrada propõe um cartaz de espetáculos “verdadeiramente irresistível, que procura ir ao encontro de todas as gerações e vai muito além dos cabeças de cartaz das várias noites”, pois reforça a aposta equestre, com a realização de vários concursos nacionais de Saltos, de Modelo e Andamentos e ainda de Atrelagens, que vão decorrer ao longo de todo o evento; propõe um conjunto de provas de gastronomia e enologia que vão apresentar o que de melhor se produz na região bairradina, nomeadamente o Kiwi, um dos produtos ex-líbris do concelho de Oliveira do Bairro, bem como alguns produtores e caves da região.
Relativamente à música, o cartaz reúne alguns dos nomes mais populares da atualidade, indo do fado ao pop rock, passando pelo hip hop e música popular. Como cabeças de cartaz destacam-se os nomes de Ana Moura (dia 11), D8 (14), D.A.M.A (15), Emanuel (16), David Carreira (17) e The Gift (18) e ainda o bairradino José Cid a marcar a abertura da Expo Bairrada 2015, no dia 10 de julho. Juntam-se outros espetáculos musicais como a 4.ª edição do “Canta-me como foi”, da Escola de Artes da Bairrada, para além das bandas e DJ’s que vão animar as noites do certame.

Propostas. António Mota, vereador responsável pelo evento, refere que “a versatilidade do programa permite a apresentação de um conjunto de propostas diversificadas e convidativas, a preços bastante acessíveis, para toda a família, para o público que procura conciliar negócios com lazer e para os aficionados da arte equestre”. “Na área de exposição será possível conhecer o tecido industrial e comercial, não só do concelho de Oliveira do Bairro mas de toda a Bairrada, para além do melhor artesanato que se faz na região”.

Parcerias. António Mota referiu ainda que o município de Oliveira do Bairro conta com a parceria de entidades locais e regionais, como são os casos da Associação Comercial Industrial da Bairrada (ACIB), Associação Equestre da Bairrada, Cooperativa Agrícola de Oliveira do Bairro e Vagos (CALCOB), Clube Ornitófilo da Beira Litoral, Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Vagos, Comissão Vitivinícola da Bairrada, Associação Nacional de Empresas Florestais, Agrícolas e do Ambiente, Unimadeiras (maior empresa nacional de certificação florestal), Rota da Bairrada e Kiwicoop.
No exterior do recinto destacam-se a área de restauração e os palcos, por onde vai passar grande parte da animação da feira. Para os mais novos, haverá uma “quinta pedagógica”, local onde poderão fortalecer a sua ligação com as tradições rurais do concelho, através do contacto privilegiado com a natureza e com os animais.
As entradas para a Expo Bairrada variam entre 1 euro e 1,50 euros, com acesso a todas as zonas. Para crianças até 10 anos de idade, a entrada na feira mantém-se gratuita.

Posted in Destaque, Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Paraimo/Sangalhos: Acidente com moto na variante faz 4 mortos

Paraimo/Sangalhos: Acidente com moto na variante faz 4 mortos

 

O trágico acidente ocorrido na madrugada do primeiro dia de maio deixou a Bairrada em choque. Dois irmãos que moravam há vários anos no Paraimo e um casal que seguia de moto e que residia no concelho de Oliveira do Bairro perderam a vida num acidente ocorrido por volta da 1h da manhã, na variante à EN 235, no Paraimo (Sangalhos). Joaquim Ramos, de 38 anos e o irmão Augusto Ramos, de 47, foram colhidos mortalmente por uma moto, quando tentavam atravessar a variante. Do acidente resultou ainda a morte dos ocupantes da moto, Telmo Silva, de 39 anos e Paula Outerelo, de 45.
Os dois irmãos tinham passado a noite juntos num café no Paraimo a conviver com os amigos. Por volta da 1h saíram e Joaquim (irmão mais novo) decidiu acompanhar o irmão a casa. Com eles seguia a cadela pastor-alemão “Rita”, companhia inseparável de Augusto.
Ambos fizeram o que é frequente outras pessoas da localidade fazerem – atravessar a variante num local vedado a peões – e que lhes foi fatal.
Os irmãos acabariam por ser colhidos por uma moto (Honda CBR 1000) que circulava no sentido Oliveira do Bairro/Anadia. O casal de namorados também não resistiu à colisão, falecendo no local.
O estrondo do acidente foi de tal forma violento que se ouviu a vários metros de distância.
Ana Matias, comandante da corporação de bombeiros anadiense, conta que foi “um choque brutal” e que os bombeiros, ao chegarem ao local, se depararam com “um cenário muito violento”. Os corpos das quatro vítimas estavam espalhados por vários metros, nas duas faixas de rodagem. O corpo de Joaquim Ramos estava pendurado no separador central da variante. Era também aí, na berma, junto ao separador, que se encontrava o corpo da cadela de raça pastor-alemão. Já o do seu irmão, Augusto, fora projetado para a faixa de rodagem contrária.
O jovem que seguia de moto, Telmo Silva, natural de Aguim, foi arrastado algumas dezenas de metros, enquanto que a namorada foi projetada para fora da estrada, encontrando-se o corpo numa zona de vegetação, junto à valeta.
A comandante Ana Matias avança que para o local foram chamadas as corporações de Anadia, Oliveira do Bairro e Águeda, a que se juntou a VMER de Aveiro. O posto territorial de Sangalhos da GNR tomou conta da ocorrência e o Núcleo de Investigação de Acidentes de Viação (NICAV) da GNR recolheu elementos para clarificar o acidente.
A circulação de trânsito só foi restabelecida perto das 6h da manhã.

Testemunhos

“Disse-me ‘Adeus, Costa’ e morreu
Eduardo Costa reside no Paraimo e era amigo de longa data dos dois irmãos. Foi uma das primeiras pessoas a chegar ao local do acidente. É com lágrimas nos olhos e a voz embargada que fala do que viu. Tinha estado com ambos no café Estafeta, no Paraimo, “a ver a bola”. Assim que ouviu o estrondo, dirigiu-se imediatamente para o local. “Tinha combinado ficar à espera do Quim, no café. Mas quando não apareceu e ouvi o estrondo tive um mau pressentimento”, disse. “Fiquei em choque mas fui ter com o Quim. Pus-lhe a mão na cara mas não reagiu. Já estava morto. Depois, vi o Augusto. Ajoelhei-me e perguntei-lhe se estava bem. Falou-me, num tom de voz muito baixinho, e tentou dar-me a mão. Disse-me ‘Adeus, Costa’ e morreu”.

“Trabalhador, brincalhão, condutor cauteloso”
Vítor Andrade, amigo da família, recorda Telmo Silva como um jovem trabalhador, humilde, sempre com um sorriso nos lábios e muito brincalhão. “Bem disposto, amigo de toda a gente”, especialmente dos familiares, aos quais fazia questão de cuidar pessoalmente dos carros, já que esta era a sua profissão (mecânico/bate-chapas).
De igual forma, o cunhado de Telmo, Carlos Nogueira, lembra um jovem de excelente caráter, amigo de toda a gente. “Simples, brincalhão e com um enorme coração”, mas também um condutor cauteloso e experiente, que cresceu no seio de uma família muito unida. “Eram 10 irmãos e perderam os pais muito cedo. Tornaram-se muito unidos”.

Junta de Freguesia quer medidas urgentes
Dez anos depois da inauguração da variante, a povoação do Paraimo continua dividida ao meio e sem a prometida ponte pedonal sobre aquela via.
Em 2005, a Junta de Freguesia, então liderada pelo autarca Sérgio Aido, recebia a promessa das Estradas de Portugal (EP), de que a obra seria concretizada. Os anos passaram, os ofícios da JF e os abaixo-assinados a solicitar reuniões e a pressionar para a realização da obra sucederam-se, mas a verdade é que, até ao momento, tudo permanece igual.
Por diversas vezes o ex-autarca criticou o facto deste processo se encontrar parado. Agora, perante este trágico acidente, lamenta que “a povoação e famílias inteiras continuem divididas porque a EP não fez o prometido. O terreno existe. Está lá junto à cabine e à antiga churrascaria do Teófilo. Este acidente poderia ter-se evitado”, dando como exemplo a CP que, no caminho de ferro, construiu uma passagem aérea e elevadores, conforme prometido, aquando da remodelação da linha do Norte que dividiu a povoação ao meio.
Agora, o atual autarca António Floro deseja que sejam tomadas medidas urgentes para melhorar a segurança no local. Avança estar em contacto com a Câmara Municipal de Anadia no sentido de voltar a pressionar a EP para a necessidade da passagem pedonal, mas também para a rápida recolocação das redes (cortadas pelos populares que atravessam a variante naquele local), com reforço das mesmas.
Recorde-se que este troço entre Oliveira do Bairro e Sangalhos, inaugurado em julho de 2005, foi construído para afastar o tráfego rodoviário entre estas povoações.

Catarina Cerca

Posted in Anadia, Destaque, Por Terras da Bairrada, Região, Sangalhos0 Comentários

APPACDM de Anadia assinala bodas de prata com iniciativas ao longo de todo o ano

APPACDM de Anadia assinala bodas de prata com iniciativas ao longo de todo o ano

Começou por ser em Sangalhos, passou por Vale de Avim e finalmente instalou-se em Avelãs de Caminho. Criou equipamentos, aumentou valências, expandiu-se para além do concelho de Anadia, foi crescendo em número de utentes. Vinte e cinco anos depois, a APPACDM de Anadia é uma instituição de referência no distrito de Aveiro, com edifícios em Avelãs de Caminho e Casal Comba (Mealhada) e Lares Residenciais em Vilarinho do Bairro e Avelãs de Caminho; apoia cerca de 150 utentes, nas valências de CAO, Lar Residencial, SAD e formação profissional.

Aquando da sua fundação, a preocupação prendia-se com a criação dos equipamentos. Criados os espaços, como salientou a presidente da direção, Madalena Cerveira, “importou construir tempos e dinâmicas que permitem dar corpo a uma política inclusiva, integrada e transversal de prevenção, de habilitação, de reabilitação e de participação das pessoas com incapacidade”.

Na apresentação, na sexta-feira, 10 de abril, daquele que será um ano de comemorações, a presidente lembrou aos presentes no auditório do Museu do Vinho, em Anadia, que “os seres humanos apenas se realizam em comunidade” e que “a sua qualidade de vida será tanto maior quanto maior for o seu envolvimento na comunidade”. E é nesta base de confiança mútua “que construímos juntos a APPACDM de Anadia”, agradecendo a todos os que ajudaram e contribuíram para este caminho.

De forma a assinalar a efeméride, foi constituída uma comissão de honra dos 25 anos da APPACDM.

No decorrer da cerimónia, seria ainda apresentado o novo logotipo da instituição, que deixa de ter uma vela acesa e outra apagada e passa agora a ter “duas velas e uma só chama”.

Foi ainda dado a conhecer o programa de comemorações ao longo deste ano, que visa essencialmente sensibilizar a comunidade para os direitos da pessoa com incapacidade intelectual, terminando com um vídeo ilustrativo dos principais marcos da APPACDM de Anadia, ao longo destes 25 anos.

Programa de comemorações
28 abril: Ação de sensibilização / informação sobre “Regimes de interdição, inabilitação e tutela da pessoa com incapacidade intelectual – Dilemas Éticos” (Museu do Vinho)
1 maio: Caminhada Solidária – no Ecoparque e outros espaços do concelho de Anadia
26 junho: Apresentação dos novos espaços – edifício sede
10 outubro: Jantar de Gala comemorativo dos 25 anos
3 a 5 dezembro: Festival D’Arte (Cineteatro de Anadia e Museu do Vinho)

Posted in Anadia, Destaque, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Sangalhos: Ministro do Ambiente preside à inauguração da ETAR de Sangalhos

Sangalhos: Ministro do Ambiente preside à inauguração da ETAR de Sangalhos

 

Jorge Moreira da Silva, ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, preside, no próximo dia 21 (terça-feira) à inauguração da obra de requalificação e ampliação da ETAR de Sangalhos, projeto financiado através do Fundo de Coesão.

A obra, da responsabilidade do município de Anadia, custou mais de 2 milhões e meio de euros. Juntamente com as ETAR’s de Amoreira da Gândara e de Couvelha são as três principais infraestruturas de tratamento do concelho. A de Sangalhos é aquela que vai tratar o maior volume de caudal de águas residuais do concelho.

O ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, descola-se a Anadia, no âmbito de uma um encontro nacional de esclarecimentos sobre o encerramento do POVT (Programa Operacional Temático Valorização do Território 2007-2013), evento anual de apresentação de resultados que se realiza este ano, entre as 9h30 e as 17h30, no Centro de Alto Rendimento – Velódromo Nacional em Sangalhos.

Esta sessão de esclarecimentos sobre o Encerramento do Programa vai contar ainda com a presença de Helena Azevedo, gestora do POVT que fará, juntamente com a presidente da Câmara Municipal da Anadia, a abertura da sessão. O encerramento será feito pelo ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, Jorge Moreira da Silva, que falará sobre oportunidades de financiamento para o Crescimento Verde 2014-2020 através do PO SEUR. Segue-se a inauguração da ETAR de Sangalhos.

PROGRAMA

Dia 21

9h30- Receção dos participantes

10h – Mensagem de Boas Vindas com Teresa Cardoso, Presidente da Câmara Municipal de Anadia Helena Pinheiro de Azevedo, Gestora do Programa Operacional Valorização do Território

1.º Painel – Sessão de Esclarecimentos sobre Encerramento do POVT

10h10 – Aspetos críticos no encerramento dos Programas Operacionais no QREN, com Dina Ferreira, Vogal do Conselho Diretivo da AD&C

10h40 – Ponto de situação do POVT e fatores de sucesso no encerramento do POVT, com Helena Pinheiro de Azevedo, Gestora do Programa Operacional Valorização do Território

12h – Debate com executores sobre regras de encerramento de projetos POVT

12h30 – Encerramento com Sucesso do POVT (Paulo Lemos, Secretário de Estado do Ambiente)

13h – Almoço

2.º Painel – Apresentação de Resultados do POVT

14h30 – O POVT no Concelho da Anadia – Resultados, com Teresa Cardoso, Presidente da Câmara Municipal da Anadia

15h20 – Apresentação do Documentário “Conta-me uma História de Sucesso – Velódromo” (Rui Oliveira e Ivo Oliveira, atletas e Helena Pinheiro de Azevedo, Gestora do POVT

3.º Painel – O Velódromo da Anadia – Perspetivas e Sucessos

16h -Debate “O Velódromo Nacional – Perspetivas e Sucessos”, moderador – Jornalista do Porto Canal

Perspetiva Empresarial – Unidade Hoteleira

Perspetiva Gestão – Presidente do Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ) e Jorge Sampaio, Vice-presidente da Câmara Municipal da Anadia

Perspetiva de Valorização Territorial – CEDRU

Sucesso Internacional – Representante QATAR e Selecionadores Nacionais de Ginástica do Brasil e do Chile

Sucesso Desportivo – Federação Portuguesa de Ciclismo

4.º Painel – O Futuro dos Fundos Estruturais no Portugal 2020

17h – O PO SEUR – Oportunidades de financiamento para o Crescimento Verde, com  Jorge Moreira da Silva, Ministro Ambiente, Ordenamento do Território e Energia

5.º Painel – Inauguração ETAR Sangalhos

17h30 – Inauguração da ETAR de Sangalhos, projeto financiado pelo Fundo de Coesão através do POVT

Encerramento

17h30 – Apresentação de Modalidades Desportivas praticadas no Velódromo – Ciclismo, Esgrima, Ginástica e Judo) a cargo das Federações Nacionais. Segue-se um espumante de honra oferecido pela Câmara Municipal da Anadia.

 

Catarina Cerca

Posted in Anadia, Destaque, Por Terras da Bairrada, Sangalhos0 Comentários

“Invest em Anadia” quer atrair jovens empreendedores e investidores

“Invest em Anadia” quer atrair jovens empreendedores e investidores

Numa plateia predominantemente formada por empresários e outros profissionais ligados ao mais diversos setores económicos, bem como responsáveis e técnicos das áreas da educação e da ação e serviço social, foi apresentada no dia 10 de abril, no Cineteatro de Anadia, o programa municipal “Invest em Anadia -Estratégia Municipal de Promoção de Empreendedorismo, do Investimento e Criação de Empresas”, da responsabilidade da Câmara Municipal de Anadia.
Numa sessão presidida pelo primeiro-ministro Pedro Passos Coelho, caberia a Pedro Maranha, do Conselho de Administração do Curia Tecnoparque, dar a conhecer o plano de ação, os eixos estratégicos (atração de jovens empreendedores, desenvolver a cultura industrial existente, estimular empresas já instaladas, valorizar e promover as áreas de acolhimento empresarial e valorizar o potencial humano), assim como o público alvo deste programa, cuja primeira medida foi a criação de um Gabinete de Atendimento às Empresas e ao Empreendedor, já em funcionamento no Curia Tecnoparque, associado a uma plataforma online.

Atrair investidores

Na ocasião, Pedro Passos Coelho afirmou que Portugal precisa de atrair mais investimento externo, por forma a ultrapassar o défice de capital existente no país. Apesar de acreditar num crescimento mais sustentado, graças à retoma do investimento desde 2014, o primeiro-ministro acrescentou que os dados disponíveis “são encorajadores”, porque a economia começou a retomar no início de 2013 e tem estado consecutivamente em terreno positivo. “A perspetiva é que o ano de 2015 seja um ano de crescimento mais significativo”, revelou, sublinhando também a necessidade de se continuar a apostar na qualificação de recursos humanos. “O plano de Anadia está muito alinhado com as nossas prioridades.” Por isso, o caminho a trilhar deve ser feito na aposta de uma economia mais competitiva e com mais inovação.

Catarina Cerca

Leia a reportagem completa na edição de 16 de abril de 2015 do Jornal da Bairrada

Posted in Anadia, Destaque, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Primeiro-ministro inaugura Centro Escolar “das Avelãs”

Primeiro-ministro inaugura Centro Escolar “das Avelãs”

Foi com toda a pompa e circunstância que o Centro Escolar de Avelãs de Cima/Avelãs de Caminho foi inaugurado na tarde de sexta-feira, dia 10 de abril, pelo primeiro-ministro Pedro Passos Coelho.
Um evento que contou com a presença do secretário de Estado do Ensino Básico e Secundário, presidente da Assembleia Municipal, vereadores, autarcas e deputados municipais, mas também com a presença de vários representantes da Educação.

Em dia de visita governamental, a edil anadiense, Teresa Cardoso, não deixou de recordar, uma vez mais, a questão da negociação dos terrenos onde está a ser implantada a nova Escola Básica e Secundária de Anadia.

A Passos Coelho, explicou que o município de Anadia cedeu o terreno necessário à implantação do novo equipamento escolar. Foram cerca de 42.600 m2, localizado em zona nobre de expansão urbana, onde se situam já o Complexo Desportivo, o EcoParque e o Cineteatro, que recebem a nova Escola Básica e Secundária, que deverá abrir no início do novo ano letivo 2015/16. “Continuamos a aguardar, com expetativa, a conclusão, muito em breve, das negociações relativas aos terrenos e a disponibilização, a favor da autarquia, dos espaços escolares que, em breve, deixarão de estar em atividade, e aos quais o município poderá dar a devida utilização, dada a sua localização estratégica no acesso ao centro da cidade de Anadia”, salientou.

A edil falava em concreto das atuais instalações da EB 2/3 de Anadia e da Escola Secundária, cujos terrenos já deveriam ter passado para as mãos da autarquia.

Na ocasião, a edil anadiense avançaria ainda que a Câmara Municipal tem uma estratégia muito clara em matéria de Educação, e que este estabelecimento de ensino consubstancia boa parte dessa estratégia.

Um moderno Centro Escolar que serve as freguesias de Avelãs de Cima e de Avelãs de Caminho, e onde foram recebidos os alunos provenientes dos Jardins de Infância e das EB1 de Avelãs de Cima, Boialvo, Pereiro e de Avelãs de Caminho, ou seja, mais de centena e meia de crianças.

Grande investimento na qualidade do sistema educativo

Já o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, começou por felicitar a Câmara Municipal por ter vindo a apostar de uma forma tão qualificada nesta área tão fundamental para o progresso do país – a Educação.

O primeiro-ministro referiu que, embora “muito já tenha sido feito na Educação, é preciso continuar a aposta na melhoria da qualidade do sistema educativo”.

E, se no passado “se gastou muito dinheiro a construir e a recuperar escolas em más condições, e nem sempre as decisões tomadas foram as mais adequadas”, o chefe de governo defende, agora, ser preciso prestar atenção à rede escolar que existe e requalificar o que falta, mas que em face dos poucos recursos, é necessário estabelecer parcerias com as autarquias.

Passos Coelho destacaria ainda a aposta numa oferta vocacional e profissionalizante que fosse ao encontro dos alunos, das empresas, mas também o facto de se ter conseguido “libertar mais tempo para apoiar alunos com mais dificuldades”.

Catarina Cerca

Leia a reportagem completa na edição de 16 de abril de 2015 do Jornal da Bairrada

Posted in Anadia, Destaque, Por Terras da Bairrada1 Comentário

Bairrada Beer Fest: Cerveja Artesanal é mote de festa na Mealhada

Bairrada Beer Fest: Cerveja Artesanal é mote de festa na Mealhada

O Bairrada Beer Fest, festival da cerveja artesanal, vai decorrer de 30 de abril a 3 de maio. A iniciativa foi apresentada esta terça-feira, na Câmara da Mealhada e promete atrair muita gente à zona desportiva daquela cidade, através de um recheado programa preparado para a edição de arranque do evento.
A cerveja artesanal será o ingrediente principal do festival, que já tem confirmada a presença de marcas de referência nacionais e estangeiras, como a Toira, Cinco Chagas, Luzia, Vadia, Praxis, Sovina, Rapada e Rolls Beer.
No entanto, o festival mostrará também outra bebida, a cidra, e aliará à cerveja a gastronomia regional e outros espaços de exposições e atrações musicais. “Nos vários stands de produtores, poder-se-á apreciar e degustar mais de 200 rótulos de cerveja artesanal”, destaca a organização, frisando que estarão presentes, igualmente, as 4 Maravilhas da Mealhada (água, pão, vinho e leitão).
O artesanato regional e a realização de workshops sobre os produtos expostos são outras apostas para este primeiro festival, que preparou também um programa de atividades turísticas de usufruto da natureza.
No cartaz de animação musical, a organização aposta em nomes como Ana Malhoa, Dengaz, Gabriell, Fernando Alvim, Liliana Luz, India Malhoa, SMACK, DJ´s Double Grooves, Ricardo Bastez, David Silva e Fucking Carnivals e as Bandas Polk , 2002 e Funk na Quinta, entre outros.
A organização reforça que vai criar outras atrações, como um espaço de diversão infantil, com insufláveis e animação, assim como uma vertente solidária, como uma corrida a realizar no dia 1 de maio, a reverter para a Associação Desportiva e Cultural de Antes (ADCRA), uma “Mega Aula de Zumba” no dia 2 de maio e almoço solidário, a realizar no domingo dia 3, a reverter para a Associação Bairrada Solidária.
O Bairrada Beer Fest é organizado pela empresa de eventos Interact e conta com o apoio do Município da Mealhada e da Associação Bairrada Solidária.

“Queremos ser o maior festival ibérico”

Tendo como meta a atração de 20 mil visitantes, a organização do Bairrada Beer Fest lembra que se a Mealhada atingir o patamar dos 15 mil passará a ser o maior festival ibérico de cerveja artesanal, disse ao JB Rui Cosme, da empresa organizadora, reforçando que a equipa que está a preparar o evento andou a verificar aquilo que se fazia nestes tipos de festivais. “Queremos ser o maior festival ibérico de cerveja artesanal. Na Mealhada quisemos ir mais longe, ser diferentes e criar um pacote de iniciativas e produtos com um cartaz forte para trazer mais-valias a quem vai ali expor, com um ponto de encontro orientado a diferentes âmbitos profissionais”.
João Paulo Teles

Posted in Destaque, Mealhada, Por Terras da Bairrada0 Comentários

26.ª Escolíadas: Novas escolas e muita qualidade

26.ª Escolíadas: Novas escolas e muita qualidade

A 26.ª edição do concurso Escolíadas-Glicínias Plaza vai arrancar, dia 17 de abril, às 21h30, no Centro de Artes e Espetáculos (CAE) da Figueira da Foz. A organização do certame aponta que este ano vai juntar mais de 2.500 alunos e professores de 28 escolas secundárias, provenientes de 19 concelhos (dos distritos de Aveiro, Coimbra e Viseu).

Os 16 espetáculos do concurso decorrerão em cinco salas destes distritos e prometem atrair mais de 12 mil espetadores, garante Cláudio Pires, presidente da Associação Recreativo-Cultural Escolíadas, destacando, nesta pequena entrevista, que este ano o concurso fica marcado com a presença de escolas novas e pelo “surpreendente” nível de qualidade das escolas participantes, rotulado como “o melhor de sempre”.

JB – O que podemos esperar desta edição das Escolíadas?
Cláudio Pires – Pelo que temos andado a ver nas escolas, este ano vamos ter uma edição muito especial. A qualidade daquilo que temos visto é surpreendente. Em termos de qualidade, acredito que este vai ser o melhor ano de sempre. As escolas estão a trabalhar muito bem.
Por outro lado, temos mais escolas. E temos um ingrediente curioso que é ter muitas escolas novas, com um reforço interessante em Viseu depois de termos apostado ali, no ano passado, na criação de um polo.
A marcar esta edição está, sem dúvida, a forma como as escolas se estão a preparar. O entusiasmo costuma ser bom mas este este ano é ótimo.

As Escolíadas juntam três distritos que, apesar de vizinhos, são diferentes. Isso nota-se nas provas?
Muito. O distrito de Aveiro é muito forte. Não é ser mais competitivo, apresenta muita qualidade. O de Coimbra será o mais competitivo mas o de Viseu dentro de duas ou três edições vai surpreender e ficar ao nível de todos os outros. Dentro de cada distrito também vemos uma evolução e hoje em Aveiro, por exemplo, vemos que todas as escolas estão muito equiparadas em termos de qualidade quando há uns anos atrás havia grandes diferenças.

A edição deste ano termina na Mealhada, onde tudo nasceu há 26 anos…
Sim, queremos que termine na Mealhada. É curto para nós o Cineteatro Messias, com 360 lugares, mas será simbólico e vai ser interessante. Vamos tentar proporcionar uma festa diferente.

O sucesso desta iniciativa deve-se ao facto de não haver nada deste género nas escolas? Preenche uma lacuna?
É a razão de ser do nosso trabalho. É a inclusão da arte na educação, sempre com os métodos da educação formal. A ligação direta à escola mas não com a pirâmide social que a escola tem. É pena que nem todos tenham acesso a estas iniciativas ou a mais iniciativas destas.

João Paulo Teles

Posted in Destaque, Mealhada, Por Terras da Bairrada0 Comentários

SFImobiliaria

Pergunta da semana

Portugueses praticam cada vez mais exercício ao ar livre. É o seu caso?

View Results

Loading ... Loading ...
Newsletter Powered By : XYZScripts.com