Uma loja social para abastecimento de pessoas carenciadas deverá abrir em breve na cidade da Mealhada, funcionando com artigos doados por particulares e entidades do concelho, disse à Lusa fonte da autarquia.

Com uma área total cerca de 400 metros quadrados, que abrange a zona de atendimento ao público e de armazém, a loja social fica situada no centro da cidade e os clientes serão referenciados por instituições do concelho.

Para facilitar a “angariação” dos donativos, a Câmara da Mealhada está a criar uma rede de pontos de entrega nas oito freguesias do concelho, que funcionará em coordenação com as instituições.

“Podem ser entregues todos os bens, com exceção dos perecíveis”, afirmou o vereador Júlio Penetra, responsável pelo pelouro de Acção Social, que espera ter a loja a funcionar “ainda antes do verão”.

Os artigos serão cedidos gratuitamente aos “clientes” da loja e vão desde eletrodomésticos e mobílias a vestuário e calçado.

Os utentes da loja social serão referenciados pelas instituições, que “avaliarão as carências e condições efetivas do agregado familiar”, processo que determinará se a pessoa em causa ficará inscrita como cliente.

“Teremos algumas regras de controlo de todos os bens que entram e saem, para não haver dúvidas quanto ao seu destino”, frisou o autarca.

Júlio Penetra especificou que será “avaliado no concreto se a necessidade invocada tem ou não fundamento, através de visitas ao domicílio” dos beneficiários.

Segundo o vereador, neste momento serão cerca de 50 as pessoas/famílias que têm recorrido às ajudas sociais promovidas pela autarquia, que desde há muito recebe oferta de bens, através do gabinete de Acção Social.