O produtor-engarrafador Mário Sérgio Nuno (Quinta das Bágeiras – Fogueira) patrocinou a edição da mais recente obra do conceituado gandarez (natural de Mira), Professor Doutor João José Frada (licenciado em Medicina, Antropologia e História e doutorado em História da Medicina e Epidemiologia Histórica).
A apresentação do livro teve lugar durante um almoço restrito, no último sábado, na Quinta das Bágeiras, na Fogueira. Ao final da tarde, no Aparthotel Miravillas, na Praia de Mira, teve lugar a apresentação pública que contou com diversas individualidades: Óscar Gaspar, secretário-Estado da Saúde; Francisco George, director-geral de Saúde; João Reigota, presidente da Câmara Municipal Mira; João Pedro Pimentel, director da A.R. Saúde Centro; Fernando Regateiro, presidente da Assembleia Municipal Mira e de José Pereira Miguel, director do Instituto Ricardo Jorge e autor do prefácio da obra agora apresentada.
Na oportunidade, Óscar Gaspar, que é natural do concelho vizinho (Vagos), não deixou de reconhecer e destacar o trabalho e esforço de investigação do autor que tem “uma obra vasta, fruto de um trabalho sério, multidisciplinar e prestigiante para Mira e para Portugal”. Quanto à pandemia de gripe, salientou que o “SNS, quando confrontado com a situação, estava preparado e soube responder”, considerando o trabalho desenvolvido pelo autor determinante para o resultado e pouca expressão que a pandemia teve no país.
Já João Pedro Pimentel evidenciou o facto de se estar perante uma obra de grande actualidade, dada a importância do tema. De igual forma, Francisco George destacaria trata-se de um autor/investigador que muito tem estudado e investigado as questões da gripe. “A importância desta obra prende-se com o facto de existirem, no país, poucos trabalhos de investigação sobre a gripe”, diria, reconhecendo que o Professor Doutor João José Frada tem “ajudado a compreender a Pandemia de Gripe em Portugal”. “São informações preciosas que ajudam a planear, por antecipação, as respostas a dar no caso da expressão de gripe ser mais intensa”.
A apresentação da obra esteve a cargo de José Pereira Miguel, director do Instituto Ricardo Jorge. Colegas de Faculdade e há muito amigos, José Pereira Miguel abordou os vários capítulos da obra “Pandemias de Gripe A (H1N1) em Portugal 1918-2009 – Ecos e cismas do passado no presente”. Uma obra bilingue (Portugês/Inglês) de grande rigor científico, mas acessível a todas as pessoas interessadas em saber mais sobre a gripe. Desde a gripe de 1918 (pneumónica) que matou em duas vagas (6 meses) 60 mil portugueses, passando pela gripe de 1957 (asiática) até 2009, a obra contém informações preciosas, análises comparativas, imensas variáveis, “vasculhou informação histórica e procurou respostas a várias questões”.
Mário Sérgio diz ser uma mais-valia e um orgulho associar-se à publicação de uma obra única como esta, no país. Amigo de longa data do autor, o produtor já se associou a anteriores publicações e trabalhos realizados por João José Frada.

Catarina Cerca