A nova Escola Básica e Secundária da cidade de Anadia deverá estar concluída dentro de 18 meses. A escola, da responsabilidade da Parque Escolar – EPE, terá uma área útil coberta de 14 mil metros quadrados e será implantada num terreno com 43 mil metros quadrados.
Inserida no Programa de Modernização das Escolas do Ensino Secundário do Ministério da Educação, terá capacidade para 1500 alunos, do 5.º ao 12.º anos. A nova escola está orçada em 16,3 milhões de euros e tem um prazo de execução de 18 meses.
De acordo com a Parque Escolar, o projecto para o edifício da Escola Básica e Secundária de Anadia sintetiza quatro ideias fundamentais: “distribuição programática à volta de um núcleo central, tomando partido de pequenos pátios que envolvem os espaços lectivos de luz natural, ventilação e protecção ambiente”; “estender o edifício principal, dada a acentuada pendente do terreno, por diversos pisos dos quais um será parcialmente à cota baixa e onde se processam as distribuições pelo complexo, permitindo a completa circunvalação por parte de serviços e serviços de emergência”.
Nos pisos superiores (1.º e 2.º) distribuir-se-ão as salas de aula, salas de grupos, laboratórios, oficinas, salas de professores, salas de alunos, reprografia e bar, dando ao ensino básico capacidade de relativa autonomia – dada a faixa etária dos alunos – dentro do complexo. Já no limite poente da propriedade, na vizinhança do complexo desportivo camarário, situar-se-á o complexo desportivo sustentado por sanitários, ginásio, campo desportivo coberto e descoberto.
A Parque Escolar pretende ainda que a população escolar seja dotada de uma diversidade de espaços de trabalho e lazer diferenciada, com protecções adequadas à intempérie, num projecto capaz de, no futuro, poder receber formas de energias alternativas.
Completam-na 76 salas de aula e vários espaços próprios para trabalho individual de professores.
Luís Santos, director do Agrupamento de Escolas de Anadia, considera que este novo equipamento escolar responde às necessidades do Agrupamento e proporciona as condições necessárias, quer para os alunos, quer para os docentes, bem como considerou tratar-se de “um projecto bem delineado e completo”.

Catarina Cerca