A concelhia de Aveiro do PS acusou ontem a Câmara liderada pelo PSD/CDS-PP de estar a gastar dinheiros públicos em propaganda numa altura em que o município devia dar um exemplo de contenção na despesa.

Em causa está um contrato assinado em Setembro com a empresa Canalvisão para o fornecimento de “serviços de comunicação/informação e espaço televisivo”.

Os socialistas remetem para o portal do Governo, que disponibiliza online contratos públicos (www.base.gov.pt), o acordo, no valor de 72 mil euros, com um prazo de execução de três anos, podendo ser denunciado antes desse período por qualquer uma das partes.

“É uma despesa que a nós não nos parece essencial nem fundamental para o município”, disse à Lusa o presidente da concelhia do PS, Eduardo Feio, lembrando que há “um conjunto de outras prioridades, como o tratamento dos espaços verdes e dos passeios”.

Os socialistas demonstram ainda a sua perplexidade por esta adjudicação, por despacho, atendendo à situação financeira do município, e à existência, neste, de recursos humanos e capacidade técnica para desenvolver trabalhos equivalentes de divulgação das actividades municipais.

“Convém não esquecer que ainda há bem pouco dissemos que o município estava em rotura financeira e a Câmara terá de fazer um orçamento para 2012 neste quadro. Portanto, este é um mau sinal que este executivo está a dar”, adiantou Eduardo Feio.

A concelhia de Aveiro do PS considera ainda que o recente reinício da publicação do Boletim Municipal a par da assinatura deste contrato é “uma opção da maioria pela propaganda e aumento da despesa municipal” que não pode deixar de censurar.

Os eleitos do PS na autarquia vão agendar um ponto na próxima reunião do executivo camarário com vista à análise deste contrato.

Contactada pela Lusa, a Câmara de Aveiro diz que não comenta o assunto.