A Universidade Sénior de Oliveira do Bairro (UNISOB) abriu, na penúltima terça-feira, o ano lectivo a 100 alunos. Um projecto que o presidente da Junta de Freguesia de Oliveira do Bairro, Márcio Oliveira, considerou, na cerimónia que decorreu no Espaço Inovação, “ser o mais ambicioso projecto sócio-educativo implementado por esta autarquia local”.

“A carência desta oferta à nossa comunidade, para além de percebida pelos responsáveis autárquicos no seu trabalho de proximidade com a população, é identificada no Plano de Desenvolvimento Social 2008-2013, levado a cabo pelo Conselho Local de Acção Social de Oliveira do Bairro”, explicou o autarca que é responsável pela Universidade Sénior.

Oferta formativa. Márcio Oliveira referiu que, após um período experimental, “o primeiro ano lectivo da vida da UNISOB, arrancou com o primeiro dia de aulas a 3 de Outubro passado, tendo já uma oferta formativa alargada também ao ensino de Francês, ao nível II de Inglês, nível II de Informática e Cidadania”.

“Foi definitivamente adoptado o sistema de que às terças-feiras nunca haverá aulas, mas, sim, actividades extra-curriculares como palestras, workshops, visitas de estudo, celebração de datas festivas, ou outras actividades de expressão cultural, artística ou de actividade física, propostas pela organização ou mesmo sugeridas pelos alunos, dotando a UNISOB de uma dinâmica muito forte e promovendo o convivo social entre os alunos, professores e dirigentes”.
O autarca recordou que “com o passar do tempo não fôssemos ficando todos mais velhos, não haveria razão de ser deste projecto e não estaríamos aqui hoje. O envelhecimento do ser humano corresponde às modificações biológicas e psicossociais que ocorrem com o passar dos anos”. Por isso, Márcio Oliveira diz que, “perante as proporções com que o envelhecimento populacional está a atingir na nossa sociedade, um dos principais desafios que se impõe hoje aos dirigentes políticos com responsabilidades locais é o de criarem condições para que os seus concidadãos não só morram o mais tardiamente possível, como também desfrutem de uma velhice com qualidade de vida”.

Experiências de vida. O presidente da Junta referiu ainda que “projectos como a UNISOB são um exemplo de como se pode promover junto dos nossos seniores um programa de envelhecimento activo, valorizando aquelas que são as suas experiências de vida, adaptando os seus tempos livres àquelas que são as necessidades da nossa comunidade”.

Viragem na educação. Arsélio Pato, director do Instituto de Educação e Cidadania da Mamarrosa (IEC), convidado para a abertura, começou por sublinhar “a importância que as Universidades Séniores têm ao receberem as pessoas com mais de 50 anos”. “As nossas escolas ensinam-nos a aprender, mas raramente nos ensinam o poder que está nas ideias. O que podemos fazer”, sublinhou Arsélio Pato, afirmando que “com o poder das nossas ideias, podemos contribuir para a sociedade”. “Nós não somos só aquilo que pensamos que somos. Somos muito mais”, afirmou.

Destacou ainda que “o concelho de Oliveira do Bairro está a atravessar uma fase de viragem na educação”, dando como exemplo “os novos centros escolares, que são espectaculares”.

Território educador. Para Laura Pires, vereadora da Cultura e Educação da Câmara Municipal, “Oliveira do Bairro tem-se afirmado, nos últimos seis anos, como território educador. Assumimos como prioridade a educação, desde o primeiro momento, e temos vindo a concretizá-la em várias frentes, das obras ao apoio à educação não formal, do investimento na componente de apoio à família, às bolsas de estudo”.

A autarca referiu que “a Universidade Sénior é um projecto que louvamos e que muito nos honra ter no Município”. “Uma oferta que nos completa o círculo de Oliveira do Bairro como território educador, com ofertas na área da educação, do ensino formal ao não formal, do clássico ao artístico, agora sim para todas as idades.”

Pedro Fontes da Costa
pedro@jb.pt