A Associação Cultural da Bairrada no Luxemburgo (ACBL) tem sido um exemplo de bem fazer, na ajuda a pessoas mais carenciadas. Em 14 anos, já entregou géneros e bens, num total de 270 mil euros, a pessoas particulares e instituições de solidariedade social, sobretudo na região da Bairrada e no norte do país.
Na quarta-feira, dia 26 de Outubro, Rogério Oliveira, presidente da ACBL, esteve no programa da manhã “Praça da Alegria”, da RTP1, dando a conhecer o meritório trabalho desta associação que tem mudado a vida de tanta gente.
Pouco passava do meio-dia quando Jorge Gabriel apresentou aos telespectadores Rogério Oliveira, presidente desta associação, que é um exemplo de solidariedade. Em breves palavras, o bairradino, natural de Vilarinho do Bairro, contou como nasceu a associação, por volta de 1997, através de um punhado de amigos do concelho de Anadia, que quiseram fazer a diferença e ajudar os Bombeiros Voluntários locais que tinham perdido quatro bombeiros no incêndio/catástrofe de 1986, em Castanheira do Vouga (Águeda). O sucesso da acção fez com que poucos meses depois a ACBL fosse legalmente formalizada. De lá para cá os gestos solidários nunca mais pararam e 14 anos passados é um facto que esta associação continua a fazer a diferença na vida de muita gente.
“Hoje, as necessidades são muitas e chegam à associação, por carta, através de mail e telefone mais pedidos de ajuda”, revelou, admitindo a necessidade de efectuar uma triagem e saber realmente quais os casos mais prementes a ajudar, numa tarefa ingrata para o núcleo de trabalho da associação.
Mas é no Luxemburgo, junto da comunidade portuguesa ali radicada, que se promovem, num restaurante português, festas e jantares de angariação de fundos. É a generosidade desta comunidade portuguesa que permite depois socorrer os mais fragilizados.
“Somos uma associação humilde”, revela Rogério Oliveira, há 40 anos radicado no Luxemburgo, explicando que a associação vale-se muitas vezes das autarquias locais, para atestar da real necessidade e justeza da ajuda a conceder. Cuidados a ter para garantir que a ajuda chega realmente a quem dela necessita, até porque “a associação não tem subsídios de nenhum organismo”.
Durante o programa, Helder Reis repórter da “Praça da Alegria”, esteve em Anadia, no Museu do Vinho Bairrada, onde conversou brevemente com várias pessoas e instituições que recorreram à ajuda da ACBL.
Foi o caso de Vera Lúcia Ferreira, a quem a associação cedeu equipamento vário para ajudar a filha Rosa, portadora de uma deficiência rara; a APPACDM de Anadia, que apoia diariamente 200 deficientes; Maria de Fátima, inválida, a quem a Associação devolveu alguma autonomia ao atribuir-lhe uma cadeira de rodas eléctrica; Pedro Guerra, deficiente motor, a quem a Associação ajudou, a par do Jornal da Bairrada, na adaptação de um veículo automóvel; José Pedro, também numa cadeira de rodas, a quem a Associação deu uma nova cadeira de rodas e remodelou a casa, eliminando várias barreiras arquitectónicas; Associação Social de Avelãs de Caminho, Associação Social de Vila Nova de Monsarros, Santa Casa de Sangalhos, Bombeiros Voluntários de Anadia, entre tantos outros.
Durante o programa, uma mensagem comoveu de forma especial Rogério Oliveira. A mensagem, via mail, de uma irmã da Congregação S.José de Cluny que em Malange (Angola) também foi apoiada pela associação, por forma a continuar a ajudar crianças necessitadas.
No final da reportagem, o Grupo de Cantares do Silveiro, deixou, em directo, do Museu do Vinho, alguns acordes de música popular portuguesa.

Catarina Cerca