A Universidade de Aveiro (UA) anunciou a criação do prémio literário Aldónio Gomes, que pretende honrar a memória deste pedagogo e divulgador da língua portuguesa e estimular a criação literária e a revelação de novos autores.

O prémio destina-se a galardoar um inédito de autor português ou de país de língua oficial portuguesa, nas categorias de romance, novela, conto, poesia, teatro ou ensaio, finalidade inspirada pelo percurso de vida de Aldónio Gomes.

As obras poderão ser enviadas até 31 de Janeiro de 2012 e o resultado do concurso será divulgado em Março desse mesmo ano.

O autor da obra escolhida pelo júri verá a sua obra publicada e receberá 20 por cento da edição.

Licenciado em Filologia Clássica, Aldónio Gomes foi professor, director da Telescola e secretário de Estado dos Ensino Básico e Secundário, no II Governo Constitucional (PS/CDS) e no V Governo Constitucional chefiado por Maria de Lurdes Pintasilgo.

Foi também consultor da Fundação Calouste Gulbenkian e coordenador do seu Projecto de Expansão e Melhoria Qualitativa do Ensino da Língua Portuguesa, entre 1985 e 1995.

Nessa qualidade, dinamizou a reformulação dos programas de ensino, a formação dos professores e a elaboração de manuais escolares, de todos os níveis de ensino, nos países africanos de língua portuguesa.

Entre as variadas actividades que desempenhou, associadas à divulgação e estudo da língua portuguesa e literaturas associadas, Aldónio Gomes foi também autor e apresentador de programas televisivos, como “A Falar É Que a Gente Se Entende”, e tinha uma participação regular no programa “Acontece”.

Aldónio Gomes faleceu a 09 de Fevereiro do corrente ano, na sua casa no Estoril, onde vivia com a segunda mulher e os seus dois gatos. O seu espólio foi doado à UA.