“Que mal fizémos nós ao PSD?” Foi desta forma que o presidente da Câmara Municipal de Anadia mostrou, na Assembleia Municipal extraordinária da passada segunda-feira, a sua indignação e revolta relativamente ao que o novo mapa judiciário trará para Anadia. Depois da Saúde (com o encerramento das Urgências) e da Educação (com a suspensão das obras na Escola Secundária), o novo golpe para o município surge agora na área da Justiça.
Os contributos apresentados pela Câmara Municipal, a solicitação da Associação Nacional de Muncípios Portugueses (ANMP), sobre a lei da organização do sistema judiciário e regime de organização e funcionamento dos tribunais judiciários foram aprovados por unanimidade. “Este documento será enviado a todas as instâncias que acharmos importante e não apenas à ANMP”, adiantou o presidente da Assembleia Municipal, Luís Santos.

Litério Marques não se conforma com aquilo a que chama “uma vergonha para os nossos cidadãos, terem de deslocar-se a Aveiro, quando tínhamos aqui tudo, quatro Juízes e três Magistrados do Ministério Público, e um Tribunal com excelentes condições físicas e humanas”.
O autarca de Anadia lamentou ainda que o “PSD local não tenha tomado nenhuma atitude – isso é muito mau”.
As intervenções que se seguiram foram praticamente todas no mesmo sentido. O líder de bancada do Partido Socialista frisou que, “em fevereiro, já apresentámos a rejeição desta malfadada lei do sistema judiciário”. “Isto é uma aberração em termos de racionalização de recursos. Trata-se de um Tribunal com excelentes condições e que tem recebido investimentos avultados nos últimos anos.”

ler mais na edição impressa ou digital

Oriana Pataco