A Assembleia Municipal de Oliveira do Bairro aprovou, na penúltima quarta-feira, 19 de dezembro, por maioria, com 17 votos a favor, quatro contra (PS e CDS/PP) e cinco abstenções, as Grandes Opções do Plano e Orçamento para 2013 no valor global de 34.979.260 euros. Um orçamento onde as receitas correntes são superiores às despesas correntes em quase três milhões de euros e onde se prevê a redução do passivo em cerca de um milhão de euros.
Trata-se, segundo o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro, Mário João Oliveira, de um orçamento de continuidade e de conclusão das grandes obras.
O autarca  afirma que o valor previsto de receitas globais para 2013 é de 34.979.260 euros, e que “o diferencial positivo entre a receita corrente e a despesa corrente, 3.704.439 euros, é bastante substancial, o que diz bem da saúde financeira do município e da sua capacidade de investimento”.
O presidente da Câmara garante que em 2013 será concluída a Casa da Cultura Dr. Alípio Sol, Polos Escolares de Oiã Nascente e de Oiã Poente e a Nova Alameda da Cidade. Assim como será construído o Polo Escolar da Mamarrosa. “Iniciar-se-ão igualmente novas obras, com destaque para a Requalificação da EB 2/3, Dr. Acácio Azevedo e dar-se-á continuidade a tantas outras como a beneficiação de arruamentos em todo o concelho, por forma a reforçar a melhoria da circulação e segurança rodoviária”.
“Permaneceremos ainda atentos a outras obras estruturantes para Oliveira do Bairro, tais como o Palácio da Justiça; o novo Centro de Saúde de Oliveira do Bairro; o Quartel da GNR e o Nó de ligação à A1 (a acontecer entre o nosso concelho e o de Anadia) e a extensão da ligação da variante 235 ao Nó da rotunda da A17 (em Mamodeiro – Aveiro). Obras que não são da nossa responsabilidade, mas pelas quais lutamos, tudo fazendo para que se concretizem”, acrescenta o autarca, frisando que “estas obras nunca estiveram tão perto de acontecer como agora”.

Apostas. O executivo de Mário João Oliveira continuará a apostar na educação, formação, cultura, juventude, desporto, férias desportivas, festa da criança, 65 em festa, FIACOBA e feira do cavalo, assim com em iniciativas/eventos culturais.
Mário João relembra que “manterá o apoio ao movimento associativo e de solidariedade social, para a qualificação e reforço das suas infraestruturas e para a formação dos jovens e para uma melhor e mais qualificada resposta às populações”.
O edil destaca ainda que o orçamento “espelha uma gestão de extremo rigor e exigência, no controlo das despesas de funcionamento por um lado, e na aplicação dos recursos disponíveis, por outro”. “Realçamos a redução de 990.000 euros na dívida de médio e longo prazo à banca, o que acontece pelo segundo ano consecutivo. Evidencia a garantia do cumprimento dos limites de endividamento cada vez mais apertados.”
Plano realista. O deputado do PSD, Carlos Viegas, realçou o continuado compromisso em que assentam os objetivos do executivo, sublinhando que “se trata de um plano bem realista que finaliza o segundo mandato de Mário João Oliveira”.
Dirigindo-se ao edil oliveirense, Carlos Viegas afirmou que “a sua estratégia foi bem delineada para aproveitar, ao máximo, os fundos do quadro comunitária. Prova disso, é o melhor desempenho de todos os municípios que integram o mapa de Aveiro”.
Destacou ainda que, apesar dos investimentos, “o endividamento se situa em 10 milhões de euros, quando no final do mandato de Acílio Gala era de nove milhões de euros.
Para Jorge Granjeia, deputado do CDS/PP, “o orçamento é o culminar de um ciclo. Uma forma de fazer política de quem vem por último é quem fecha porta”.