Realizou-se, no passado dia 1 de junho, em Vale Domingos, o início do cultivo dos 14 talhões, bem como um workshop de Compostagem, subordinado à valorização dos resíduos orgânicos, no âmbito do projeto Hortas d’Águeda.

O momento de entrega das chaves do abrigo partilhado das alfaias agrícolas foi promovido pelo Presidente da Câmara, Gil Nadais, acompanhado pelos elementos da Vereação e Gabinete de Apoio à Presidência e culminou com a entrega de cerca de 650 plantas (alfaces, tomates, couves, pepinos, alho francês e pimento), sementes e fertilizantes adequados à prática de uma agricultura sustentável.

De seguida teve lugar o workshop de Compostagem, cuja parte teórica decorreu no edifício da EB1 de Vale Domingos, contando com 21 participantes, e foi ministrado pela Eng.ª Glória Costa, responsável pelo Centro Municipal de Compostagem, situado no antigo matadouro municipal. Esta ação pretendeu sensibilizar os hortelões e suas famílias, para a valorização dos resíduos orgânicos passíveis de compostagem (ex: restos de hortícolas, relva, resíduos agrícolas, etc.) transformando-os num componente orgânico de elevado valor nutricional para as plantas, designado por ‘Composto’.

O Enf.º Jorge Almeida, Vice-presidente da Câmara Municipal de Águeda sensibilizou os presentes para a importância da prática da compostagem e das poupanças para o Município de Águeda, ao nível da recolha e tratamento dos resíduos sólidos e urbanos, que no presente ano já representa uma economia de 231 mil euros.

Seguiu-se a formação prática no espaço das Hortas de Vale Domingos, onde os hortelões puderam aplicar os conhecimentos adquiridos e construir os compostores.

Destaque ainda, para a iniciativa da Câmara Municipal de Águeda de estabilização do talude das Hortas de Vale Domingos, num o trabalho conjunto dos hortelões e dos membros do Executivo Municipal, com recurso a cerca de 1000 plantas produzidas nos Viveiros Municipais.

Os talhões de terra atribuídos pelo Município de Águeda estão situados no terreno junto à EB1 de Vale Domingos, na freguesia de Águeda. Cada talhão possui uma área de cerca de 40m² e para utilização coletiva por todos os novos hortelãos o Município disponibilizará um compostor comunitário, um espaço para armazenar as alfaias agrícolas e um ponto de água comum.

Entre as principais motivações dos candidatos para a sua candidatura a um talhão de terreno no âmbito das “Hortas d’Águeda” está a poupança no seu orçamento familiar que o cultivo de uma horta pode representar, havendo também quem destacasse o regresso às suas origens e aos hábitos antigos do cultivo da terra. Os candidatos manifestaram gosto pela agricultura, referindo que sem esta oportunidade criada pelo Município de Águeda não poderiam fazer plantações.

Recorde-se que o projeto-piloto “Hortas d’Águeda” teve início a 9 de junho de 2012, com a atribuição de 22 talhões junto à Biblioteca Municipal Manuel Alegre e o Município de Águeda pretende ainda durante este ano alagar a iniciativa a outros pontos do concelho.

Atualmente, as Hortas funcionam também como um espaço de socialização entre os hortelãos que têm aí o espaço por excelência para o conhecimento mútuo e a partilha de saberes.