A Câmara Municipal de Oliveira do Bairro adjudicou, na penúltima quinta-feira, durante a reunião de Câmara que decorreu no Troviscal, pelo valor de 895 mil euros + IVA, a construção do novo Centro de Saúde de Oliveira do Bairro.
O concurso público foi assumido pela Câmara Municipal de Oliveira do Bairro que, segundo Mário João Oliveira, é proprietária de terrenos atrás do Centro de Saúde.

Ainda de acordo com o autarca, será agora assinado um contrato programa com a Administração Regional de Saúde do Centro, com o objetivo de obter apoios para a construção do Centro de Saúde. O projeto não carece de aprovação municipal, dado tratar-se de um projeto tipo e o prazo de execução será de 12 meses.

A autarquia oliveirense também já assumiu fazer os arranjos exteriores, que não fazem parte desta empreitada.
“Depois de uma luta persistente, não iremos perder esta oportunidade”, afirmou Mário João Oliveira.

O pior do distrito. Recorde-se que o Centro de Saúde de Oliveira do Bairro foi considerado o pior do distrito de Aveiro e que, em outubro de 2009, foi homologada por despacho do secretário de Estado Adjunto e da Saúde a minuta para a construção e equipamento do novo Centro de Saúde que previa que a Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC) disponibilizasse 660 mil euros.

Em 2009, Couto dos Santos, deputado da Assembleia da República, eleito pelo PSD, inserido numa comitiva parlamentar dos deputados, eleitos pelo círculo de Aveiro, visitou o Centro de Saúde e afirmou não ter gostado do que viu e manifestou grande preocupação em relação a quem precisa de cuidados médicos, assim como garantiu estar preocupado com quem trabalha naquele local.

No mesmo ano de 2009, o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro, Mário João Oliveira, chegou mesmo a anunciar a construção do Centro de Saúde, afirmando que a obra custaria mais de dois milhões de euros. Hoje a realidade é diferente e custará cerca de 895 mil euros, acrescidos de IVA. A construção de um novo Centro de Saúde há muito que era reclamada pela população e pela autarquia, que chegou, no anterior executivo [Acílio Gala, CDS/PP], a comprar terrenos, nas traseiras da atual Unidade de Saúde, para a construção da obra. Contudo, os anos foram passando e o projeto nunca saiu das gavetas dos sucessivos ministérios da Saúde.

Louvor. O vice-presidente da autarquia oliveirense, Joaquim Santos, aproveitou a oportunidade para louvar os técnicos municipais pelo esforço que fizeram no sentido de cumprirem os prazos.

Pedro Fontes da Costa
pedro@jb.pt