O novo executivo da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro foi instalado, na última sexta-feira. Mário João tomou posse como presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro, enquanto que António Mota, Elsa Pires e Cristóvão Batista tomaram posse como vereadores, eleitos pelo PSD. O mesmo aconteceu com Lília Ana Águas e Jorge Pato (Paulo Caiado não tomou posse, dado estar ausente do país) que tomaram posse como vereadores da oposição, eleitos pelo CDS/PP. Após negociação entre o PS e o PSD, Manuel Nunes foi eleito presidente da Assembleia Municipal de Oliveira do Bairro com 14 votos (12 do PSD e 2 do PS). Leontina Novo, que encabeçava a lista do CDS/PP, só conseguiu 11 votos.

Responsabilidade. Mário João Oliveira começou por agradecer àqueles que “cessam funções, membros das Juntas e Assembleias de Freguesia, Câmara Municipal e Assembleia Municipal”. “A todos, o reconhecimento pela vossa dedicação à causa pública e pelo contributo para o desenvolvimento do concelho”, referiu.
“Aos vereadores com pelouros atribuídos deixo um agradecimento especial por todo o trabalho desenvolvido no cumprimento dos mandatos que lhes foram confiados, pela sua entrega, inteligência e sentido prospetivo, pela iniciativa, seriedade e sentido de responsabilidade”, sublinhou o edil oliveirense, agradecendo, também, “o trabalho e profissionalismo dos funcionários e colaboradores da câmara municipal.
Salientou, com especial enfâse, o desempenho e a atitude dos Chefes de Divisão e de Unidade”. “A grande dedicação e serviço de missão que envolve quase todos, a vontade de fazer mais e melhor, o vestir da camisola de Oliveira do Bairro e de suar por ela, foi fundamental para fazer acontecer”, afirmou.
Mário João, dirigindo-se aos que iniciam as suas funções, a quem pediu empenho e responsabilidade, recordou que “quem é eleito se obriga a fazer o melhor tendo presente o interesse público, dignificando a instituição que representa, garantindo boa governabilidade e integridade, fazendo cada dia melhor e tendo presente que a vontade de fazer, não dispensa ninguém de fazer bem, nem de evitar o desperdício de recursos que resultam do esforço de todos”.
Mário João saudou ainda toos os vencidos da disputa eleitoral, afirmando que “é devida uma palavra de apreço e de reconhecimento”.
O edil explicou que “em dois mandatos mudámos o concelho. Foram oito anos de intensa atividade autárquica, com sentido estratégico, confiança, rigor e transparência”.
“O povo decidiu democraticamente pela continuidade, renovando a confiança para um terceiro mandato, pelo que farei tudo o que estiver ao meu alcance para honrar essa confiança, atuando em ordem à concretização das medidas previstas no projeto de ação que apresentei ao eleitorado”, afirmou o presidente reeleito para o terceiro mandato, prometendo que o fará com “rigor e transparência, ciente como sempre, de que governar é decidir, o que por vezes acarreta escolhas difíceis, que nem sempre satisfazem todos, sendo que o resultado desejável é o de obter um maior benefício para os cidadãos em geral, garantindo a igualdade de direitos e de oportunidades, a solidariedade e a tolerância”.
“No seio do órgão executivo apelo à proatividade, à crítica construtiva, dando o melhor de cada um, com elevação e respeito, oferecendo contributos para melhor cumprir este projeto”, pelo que se disponibilizará, perante a Assembleia Municipal para, ao longo do mandato, “dar nota permanente da execução, informando e esclarecendo todas as questões, em defesa do rigor e da transparência”.
Crescimento. João Paulo Sol (PSD) começou a sua intervenção por felicitar “as pessoas do concelho de Oliveira do Bairro que acreditam no projeto político autárquico do PSD e do presidente Mário João Oliveira para os próximos 4 anos”. “Em nome do PSD de Oliveira do Bairro agradeço a todas as pessoas que acreditam e votaram no nosso projecto e nas nossas equipas candidatas à Câmara Municipal, à Assembleia Municipal e às Juntas de Freguesia”, referiu João Paulo Sol, garantindo que o PSD tudo “irá fazer para não defraudar as expectativas das pessoas e para continuar a desenvolver e a fazer crescer o nosso concelho”.
O deputado social democrata, João Paulo Sol, explicou ainda que, “perante a situação económica e social que o país atravessa, este mandato autárquico será um mandato pautado por uma contínua proximidade às pessoas, associações, freguesias e às empresas do concelho”.
Relativamente ao funcionamento da Assembleia Municipal, disse esperar “o prosseguimento do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido, ao longo dos últimos anos, com uma maior aproximação aos eleitores, às freguesias e ao executivo municipal”.
Recordou também que “os eleitores do concelho de Oliveira do Bairro votaram, acreditando nos projetos e nas equipas de cada partido, pelo que com o nosso trabalho, dedicação e empenho vamos todos transformar e melhorar o nosso concelho. Vamos dar melhores condições de ensino às nossas crianças, continuar a criar condições para o crescimento do emprego no nosso concelho, dar a melhor terceira idade possível aos nossos idosos que tudo fizeram pelo nosso concelho e por todos nós. E ainda vamos continuar a proporcionar condições para as associações continuarem a desenvolver o seu trabalho”.

Desafios. Leontina Novo, do CDS/PP, sublinhou que “a tomada de posse de órgãos, democraticamente eleitos, é sempre um momento solene da vida cívica, por maioria de razão, quando esses órgãos têm a nobre missão do exercício do poder local, pois é através dele que se inicia a ligação dos cidadãos ao poder democraticamente eleito e onde a participação cívica assume particular relevância”.
“O reforço da participação dos oliveirenses na vida do município é um desafio que se apresenta para os próximos 4 anos. Tornar os órgãos do município próximos e acessíveis será o nosso primeiro objetivo, não fosse o nosso lema: «As Pessoas Primeiro!»”
Leontina Novo prometeu que “estaremos atentos numa posição crítica e responsável, ajudando a Câmara Municipal a governar para todos os oliveirenses, assim também esperamos que o executivo nos saiba ouvir”. “A maioria de que dispõe não sirva para olhar num só sentido, pelo que faço votos para que a governação deste município seja uma permanente escolha entre as soluções que melhor podem servir os interesses desta comunidade”, finalizou.

Consensos. Armando Humberto, eleito pelo PS, que perdeu nestas eleições um membro da Assembleia Municipal, começou a sua intervenção por felicitar o PSD por ter vencido as eleições, assim como todas as outras forças políticas por terem sabido ser dignas vencidas.
O deputado do PS destacou que “os resultados eleitorais ditaram que nenhum partido tem a maioria absoluta dos votos nesta Assembleia que é o órgão deliberativo por excelência no concelho. Isso obriga-nos a ir à procura de consensos, a dialogar, a ouvir e a respeitar. Algo que deveria ser de resto a prática quotidiana, houvesse ou não houvesse maioria, já que a política é acima de tudo a arte da procura do consenso e a procura de soluções para os problemas de todos com a participação de todos”.
Armando Humberto (PS), que votou na lista presidida por Manuel Nunes (PSD) à presidência deste à Assembleia Municipal, explicou que “procurámos dar o pontapé de saída, procurando criar um consenso, procurando chegar a um compromisso sobre um conjunto de medidas capazes de tornar o funcionamento da Assembleia Municipal mais eficaz”. Assim, Armando Humberto afirmou ter elaborado um documento, intitulado “Compromisso para uma Assembleia Municipal Mais Eficaz”, com um conjunto de ideias que depois foram sendo enriquecidas com o contributo de todas as bancadas. “O documento foi depois subscrito por mim enquanto representante da bancada do PS, e pelo Manuel Nunes, enquanto representada da bancada do PSD. Leontina Novo, na qualidade de representante da bancada do CDS optou por não subscrever o documento, mas presumo que o CDS apoie as propostas que nele estão enunciadas, pois contribuiu para elas e estas aparecem praticamente na íntegra na proposta de candidatura à Mesa da Assembleia apresentada pelo CDS”.

Democracia. Por último, o presidente da Assembleia municipal de Oliveira do Bairro, Manuel Nunes, já empossado, começou por deixar uma palavra de apreço a todos os que participaram no ato eleitoral, no passado dia 29, sublinhando que “o ato decorreu com dignidade e com total respeito de uns para com os outros”.
Deixou ainda uma palavra para todos os que cessaram funções, nomeadamente aos vereadores Joaquim Santos, Laura Pires e Carlos Ferreira e a todos os outros elementos da Assembleia Municipal que também saíram, afirmando que “todos os que são investidos de novas funções, devem ter como referência os que saíram”.
Defendeu ainda a importância de todos melhorarem o concelho, com o objetivo “dos nossos concidadãos poderem viver melhor, proporcionando também condições para que outros se fixem no nosso concelho”.
Relativamente ao funcionamento da mesa e ao compromisso assumido com o PS, Manuel Nunes disse que vai “tudo fazer para procurar de facto cumprir”. “É isso que vamos fazer, porque dessa forma podemos ser um bom exemplo de como se pode enriquecer a democracia, o diálogo e a partilha de ideias, para que no final o resultado seja o melhor e mais adequado.”
Finalizou por afirma que “da nossa parte vamos continuar a tudo fazer para dignificar a nossa assembleia municipal e melhorar a vida dos oliveirenses”.