O polo escolar de Oiã Poente (Carro Quebrado) foi inaugurado, na penúltima quarta-feira, pelo presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro, Mário João Oliveira, sem estar concluído. A falta de quadros nas salas de aulas e ausência de vedação no espaço exterior são os problemas apontados pelo vereador da oposição Jorge Pato, que, na última reunião de Câmara, disse não entender “como se abre uma escola com esta falta de condições”.
Durante o discurso de inauguração, o presidente da Câmara considerou que se tratava de pormenores. “Cada um olha para o que quer”, afirmou o autarca.
Mário João Oliveira sublinhou ainda que “quase oito anos volvidos, o executivo municipal, que deu resposta cabal à carta educativa, numa forte aposta do seu executivo na área da Educação, faz com que a partir de hoje, e à exceção da Mamarrosa, todas as crianças do ensino pré-escolar e 1.º ciclo que frequentarem a rede pública, disponham das mesmas condições, de excelência e não de luxo, para aprender e ensinar”.

Custo. Este é o 7.º e penúltimo equipamento escolar novo a entrar em funcionamento no concelho de Oliveira do Bairro, nos últimos 8 anos, e representa um investimento de 2.886.236,31 euros. O projeto teve uma comparticipação de cerca de 41% do Quadro de Referência Estratégica Nacional (QREN).

Dedicação. O presidente da Assembleia Municipal, Manuel Nunes, considerou tratar-se de uma inauguração singela, mas “com o significado das outras inaugurações que envolveram personalidades”. “No fundo, esta inauguração tem o mesmo significado das outras”, reforçou Manuel Nunes, enaltecendo “o grande espírito de dedicação de todos os professores, já que os primeiros passos do ensino básico são decisivos para a carreira escolar e para a própria vida”.

Condições. A diretora do Agrupamento de Escolas de Oliveira do Bairro, Júlia Gradeço, destacou as qualidades do polo escolar, afirmando estarem reunidas todas as condições para um bom estudo.
Júlia Gradeço, dirigindo-se aos alunos, afirmou que “estes alunos que, hoje estão aqui, um dia uns serão ministros, outros pedreiros”. “Às vezes os pedreiros são mais importantes, por aquilo que temos visto”, afirmou.
Nesta escola, e pela primeira vez, a autarquia vai garantir diretamente, em protocolo com o Agrupamento de Escolas, o serviço de Atividades e Tempos Livres (ATL) que vai funcionar nas próprias instalações, tal como acontece com a Componente de Apoio à Família nas restantes escolas. As refeições serão servidas pelo Centro Social de Oiã.