O maior Festival de Bacalhau do país vai voltar ao Jardim Oudinot, na Gafanha da Nazaré, de 12 a 16 de agosto, e com muitas novidades. Um dia depois do terminus de mais um Festival do Marisco, no relvado da Costa Nova, “um verdadeiro sucesso, com novo recorde de receita e assistência”, o presidente da Câmara Municipal, Fernando Caçoilo apresentou, na última segunda-feira, mais uma “aposta forte” do Município de Ílhavo.
E como de bacalhau se trata, o espaço escolhido para apresentar os destaques desta edição só podia ser o Navio Museu Santo André, arrastão que fez parte da frota portuguesa do bacalhau. “O Festival do Bacalhau é um festival de famílias, que contempla mais de cem atividades, para as crianças, para os pais, para os avós, desde as nove da manhã até acabar, durante cinco dias”, frisou.
O orçamento – 230 mil euros – é ligeiramente superior ao do ano passado, “aumento que se justifica com melhorias nas tendas [materiais nobres no piso das tasquinhas] e no Pavilhão Terra e Mar”, entre outras melhorias.
Fernando Caçoilo espera que o evento continue a crescer, ultrapassando quiçá os números do ano passado: consumo de 10 toneladas de bacalhau e derivados; passagem de 150 mil pessoas e 25 mil refeições servidas. O autarca reforçou ainda o aumento de 15% nas receitas de publicidade (70 mil euros de apoios publicitários) e sublinhou aquela que é uma aposta para manter: “neste Festival, não se paga bilhete”.

Em crescendo

A Paulo Costa, vereador do Turismo, coube pormenorizar “o reforço da componente cultural e o aumento da notoriedade a nível ibérico”, esperando colher frutos da recente promoção do Município em Vigo, Espanha. Reconheceu que este é um evento que “permite o incremento da atividade económica local, importante para o tecido associativo, para a hotelaria e restauração do município e da região”.
A venda de bacalhau é uma das grandes novidades deste ano. No Mercado do Bacalhau, poder-se-á comprar bacalhau seco, línguas, samos e outros derivados do “fiel amigo”.
Entre showcookings (para crianças e adultos), degustações, concursos, workshops, mostras de artesanato, visitas ao Navio Museu, tasquinhas/restaurantes (10) e bares, atividades desportivas (como a II Mini Maratona do Museu Marítimo de Ílhavo e a XVI Corrida Mais Louca da Ria), há ainda concertos com artistas bem conhecidos do público (Rouxinol Faduncho, Os Azeitonas, GNR, Sérgio Godinho e Diogo Piçarra), e este ano, num palco junto aos bares, também atuam novas bandas do panorama musical português, terminando as noites no “Palco Ria” com concertos e DJ sets de talentos locais.
Os bares vão servir petiscos e será lançado o concurso “Prato Inovação”, ao qual podem concorrer restaurantes e bares, sendo premiados uma entrada e um prato principal.
Ainda no âmbito de concursos, a Confraria Gastronómica do Bacalhau, parceiro do evento, convida os visitantes a participar num concurso fotográfico onde se registem pormenores dentro do espaço do evento. O Confrade Mor, João Madalena, destacou ainda a “evolução fantástica” do festival, num Município que se afirma, uma vez mais, como a capital do bacalhau.

Oriana Pataco