Sói dizer-se que à terceira será de vez. Esta metáfora aplica-se por inteiro a João Rôlo, que depois de duas tentativas falhadas, vai participar na 10.ª edição do Rali Africa Eco Race, a maior maratona de todo-o-terreno da atualidade, que decorre entre 31 de dezembro a 14 de janeiro, do Mónaco a Dakar.
O piloto bairradino tinha este sonho quase desde criança. Em 2008, por razões de segurança, viu a prova cancelada em Lisboa e, por questões de saúde, em 2016, também não participou. Chegou a hora de concretizar o sonho, pilotando uma KTM 660 Rally, cujo projeto deu a conhecer no passado dia 20, no Museu do Vinho Bairrada, em Anadia, ao lado dos patrocinadores, entidades oficiais, família e amigos. E não conteve as lágrimas.

Promoção. “Hoje é o dia do João Rôlo, de apresentar o seu longo projeto, em que a Câmara Municipal de Anadia e a Rota da Bairrada têm todo o prazer de participar nesta aventura deste novo anadiense.” Foi deste modo que Jorge Sampaio, vereador do desporto da Câmara Municipal de Anadia, iniciou a sua intervenção, reforçando que “o município de Anadia e a Rota da Bairrada estão com ele neste projeto e que será o primeiro meio de promoção à nossa candidatura a Cidade Europeia do Desporto 2020”, desejando-lhe a maior sorte do mundo numa prova bastante dura.
Outra entidade envolvida neste projeto é o Turismo Centro de Portugal. Na voz do seu presidente, Pedro Machado, “estamos na presença de um amigo, que admiro pelo seu espírito de sacrifício e muita humildade, que me impressionaram pela positiva na primeira vez que nos conhecemos”.
Apostado em dar a conhecer o que de bom se faz na Bairrada e Região Centro, Pedro Machado realçou que “o nosso objetivo é acrescentar a marca e o Centro de Portugal. Percebemos que nesta dinâmica mais global todos os contributos são válidos, o espírito aventura da competição, que é seguido por milhares de pessoas em todo o mundo, e isso é importante para nós”, acreditando que João Rôlo irá fazer uma grande prova.
Com a humildade que o caracteriza, João Rôlo começou por confessar que gosta mais de acelerar do que falar. Depois, lá disse: “Sem o vosso apoio não era possível concretizar este sonho. Tenho 54 anos e há 40 anos que ando a projetar esta prova, à terceira será de vez.”
 
Ler mais na edição impressa ou digital