O PS venceu as eleições na Mealhada, conseguindo atingir os 47,58% dos votos contra os 33,26% conquistados pela coligação Juntos Pelo Concelho da Mealhada (JPCM). O Bloco de Esquerda passou a ser o terceiro partido mais votado (6,66%), deixando a CDU em quarto lugar, com 6,50%.
A composição do executivo continua a favorecer os socialistas, que conseguem maioria, elegendo quatro dos sete mandatos, deixando os restantes para a coligação JPCM.
A votação para a Assembleia Municipal foi semelhante, com o PS a conquistar 11 mandatos, a coligação JPCM conseguiu 8 e a CDU não foi além de um mandato, perdendo para o Bloco de Esquerda o segundo mandato que habitualmente segurava neste órgão.
O Bloco de Esquerda conseguiu outra conquista, elegendo um mandato para a União de Freguesias de Mealhada, Ventosa do Bairro e Antes, onde a CDU perdeu o mandato que atualmente detém. Nesta União, o PS e a coligação JPCM atingiram os seis mandatos, cada um, sendo o resultado mais modesto para o PS em termos de votação para as Assembleias de Freguesia.
Nas restantes, os socialistas ganharam em toda a linha, conseguindo maiorias absolutas em cinco delas, sendo o Luso e Casal Comba as mais expressivas, com 70,44% e 57,58%, respetivamente.
Destaque negativo para a abstenção, que atingiu os 48,60%, ou seja, não votaram 8.972 eleitores no concelho da Mealhada.
“Hoje foi uma alegria tranquila”. Rui Marqueiro, releeito presidente da Câmara da Mealhada, chegou pouco depois das 21h30 ao edifício dos Paços do Concelho, recebendo os primeiros parabéns pelas conquistas da noite e nas primeiras declarações oficiais, ainda com os resultados a chegarem, admitiu que a eleição não foi difícil. “Esta campanha teve uma particularidade muito especial. A campanha de há quatro anos foi muito mais polida, bastante mais saudável politicamente. E esta teve alguns momentos que me desagradaram profundamente”, disse o líder socialista.
Para Rui Marqueiro, “os eleitores falaram, está falado. É uma vitória por números expressivos, julgo que independentemente do que nós possamos pensar que foram estes quatro anos, os eleitores é que mandam. Eles mandaram e reconheceram que esta era uma lista de gente capaz, que lhe falou verdade durante quatro anos e continuará a falar verdade no futuro”.
Historiando que esta é a sua quinta vitória como presidente de Câmara, o reeleito presidente comentou que “é uma vitória de pessoas que gostam de servir a causa pública. Estou muito satisfeito, estou muito feliz, mas não faço disto uma coisa como se fosse a primeira vez. Da primeira vez foi uma alegria muito especial. Hoje foi uma alegria tranquila”.

 

Ler mais na edição impressa ou digital