O  estado de degradação das instalações do Centro de Saúde de Anadia (CSA), continua a incomodar utentes e a Câmara local, que está disposta a continuar a pressionar a tutela para a requalificação do edifício. Para o Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Baixo Vouga, esta obra “é importante mas não é prioritária”.
Com infiltrações visíveis pelas manchas nas paredes e pelo piso danificado e levantado, o Centro de Saúde apresenta estes como alguns dos problemas verificados nas zonas comuns daquele edifício, inaugurado em dezembro de 2001.
Sem sinais de reparação imediata – apesar de estar feito um levantamento técnico da Administração Regional de Saúde do Centro (ARS-C) que aponta um investimento na ordem de 200 mil euros para a reparação da cobertura,  das paredes e pisos danificados – o certo é que neste momento esta obra não é vista pela tutela como prioritária.
Pedro Almeida, diretor do ACES Baixo Vouga, garante mesmo que “a obra é importante mas não é prioritária”, na medida em que “não apresenta riscos em termos de segurança para profissionais e para utentes, apesar de evidenciar aquelas marcas de humidade e de infiltrações, o que é desagradável”.

 

Ler mais na edição impressa ou digital